Div
Div

Festival SP Rap traz panorama do gênero

Primeira edição do evento mostra nomes de escolas diferentes, de Mano Brown a Flora Matos, e dedica espaço às crianças

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2014 | 02h06

Um novo festival faz neste domingo, 30, um voo panorâmico sobre gerações, origens e escolas diferentes do rap brasileiro. O SP Rap será realizado por 11 horas seguidas, das 11 h às 22 h, na Praça das Artes, centro de São Paulo.A idealização do projeto é da produtora Mari Bergel, que montou uma programação variada, com nomes que vão de Mano Brown a Flora Matos, de KL Jay à revelação Rincon Sapiência. "A ideia foi fazer o festival mais democrático possível", diz Mari. A abertura será feita por crianças que podem ser chamadas de representantes de uma novíssima cena. O Hip Hop Kidz terá rappers mirins como MC Soffia, MC Ogizinho, MC Tumtum, MC Jahmal, MC Cauã e B-boy Andrew (que é filho do referencial dançarino do movimento, Nelson Triunfo).

Mari acredita que o cenário do rap já vive uma transformação com relação a uma maior aceitação do gênero, não só por fãs dos grupos. "O rap era muito mais estigmatizado. Hoje, tem ganhado um espaço menos discriminatório, atingindo crianças, mães, um público bem maior." Resultado, diz ela, de uma abertura promovida por nomes contemporâneos como Emicida, Criolo, Rashid e Flora Matos.

"O maior espaço conseguido com a internet ajudou muito na divulgação desses nomes. Eu diria que houve uma pressão popular para tornar o rap mais digerível para um grande público", afirma Mari.

Flora Matos, que Mari considera a maior voz feminina da atualidade dentro do movimento, é um dos destaques que deve lotar a Praça das Artes a partir das 16h50. Mesmo sem lançar material novo em CD há cinco anos, Flora é desses fenômenos com seguidores fervorosos reunidos sobretudo por redes sociais. Seu show vai contar com faixas inéditas que logo estarão em seu novo álbum, Do Lado de Flora, o primeiro a ser lançado por seu selo, no primeiro semestre de 2015.

As fãs de Flora fizeram o que ela chama de um eco na internet, filmando apresentações, convertendo faixas para MP3 e as disponibilizando para outros fãs gratuitamente na rede. Assim, Flora sempre chega a um palco como uma artista de carreira extensa, mesmo há cinco anos fora dos estúdios. Seus seguidores decoram todas as suas músicas.

As atitudes de Flora promovem o que ela chama de rap livre. "Não tem essa de rap feminino, rap masculino ou rap gay. Sou uma mulher que canta rap, ponto. A realidade que vai estar ali é a minha." Sua apresentação de 30 minutos no festival será baseada no formato que ela tem feito, chamado Disco Eco Voador. "Este vai ser um dos meus últimos shows antes de eu aparecer com o repertório do novo álbum."

A programação terá ainda como destaque o paulistano Rincon Sapiência, recente no cenário, mas com uma força que o mantém entre a contundência da velha escola e a pista que os anos 2000 mostraram ser um caminho viável ao gênero; o integrante dos Racionais, KL Jay (que vai aparecer em dois horários, às 16h30 e 17h30), e Mano Brown (previsto para as 18 h). É importante reforçar que Brown não vem para mostrar músicas dos Racionais, mas trazer a sonoridade setentista de baile que tem orientado seu novo projeto, chamado Boogie Naipe. Os Racionais acabaram de divulgar seu disco novo, Cores e Valores, que será lançado no dia 20 de dezembro, no Espaço das Américas.

A última atração será às 20 h, com o Projeto Nave, um coletivo de pesos pesados que traz BNegão, Kamau, Rashid, Xis, Lurdez da Luz, Karol Conka e Flavio Renegado.

Tudo o que sabemos sobre:
Festival SP Rap

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.