Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

Festival no parque, um balanço

Maratona do Planeta Terra no Playcenter recebeu 20 mil pessoas

Rafael Andrade,

21 de novembro de 2010 | 10h41

Cerca de 20 mil indies no Playcenter. A 4a edição do Planeta Terra trouxe atrações inéditas como o cantor Mika e o Pavement, na noite neste sábado, 20, a São Paulo. Festival concorrido.

 

Os ambulantes deram lugar a fãs que não conseguiram entrada. “Compro ingresso”, dizia a plaquinha segurada por Rodrigo Medeiros, todo tatuado, na fila da festa. Dois meses e meio antes do evento, as entradas estavam esgotadas. Quem conseguiu entrar viu a tão aguardada apresentação do Phoenix – sem o Daft Punk, que a gente esperava, mas tudo bem.

 

blogVeja e leia mais detalhes sobre o festival no novo blog Radar Cultural 

 

A banda da França foi, sem dúvida, a maior atração do festival. O vocalista terminou o show passeando nas mãos do público, num dive stage emocionante. Mika entrou com o hit Relax, Take It Easy e mandou outros hits tão conhecidos do público dele – boa parte gay, presente massivamente – que fez o Playcenter tremer. Do outro lado do parque, no palco indie, pouco depois, tocavam os australianos do Empire of the Sun. O Smashing Pumpkins, convidado para encerrrar a festa no Playcenter, mesclou hits antigos com os da nova safra. Tocou Tonight, mas ficou devendo 1979, que todo mundo ali queria ouvir. Pena.

 

Smashing Pumpkins

 

Se o Smashing Pumpkins pode ter uma cara essa é a do vocalista e guitarrista, Billy Corgan, no grupo desde a primeira formação. Hoje a banda se apresenta também com Mike Byrne, Jeff Schroeder e Nicole Fiorentino. O grupo é um dos destaques do Festival Indie.  Durante o show a banda mostrou momentos de fúria com guitarras e bateria. Após a metade da apresentação, o som se aproximou mais do pop do começo. Tonight, Tonight anima o público quase no final do show. Depois do bis, Heavy Metal Machine não anima tanto. O que prevalecem são os solos de guitarra e bateria.

 

O Smashing Pumpkins começou em 1991 com a canção Gish. O grande sucesso Mellon Collie and the Infinite Sadness é de 1995. A fama de perfeccionista e dominador do líder Billy Corgan podem ter influenciado na decisão da banda de romper em 2000, pela primeira vez.

 

No ano de 1997, Corgan chamou o baixista Jimmy Chamberlain para uma nova formação do Pumpkins sem Iha e com Melissa Auf der Maurcom no lugar de D’arcy Wretzky . Em 2001, Corgan formou nova banda com Chamberlin no baixo (mais Sweeney e Skullfisher). Os outros dois Pumpkins originais, Iha e Maur, começaram a tocar juntos em um super grupo de rock alternativo. Corgan gravou seu primeiro álbum solo em 2005.

 

Depois da apresentação em São Paulo, a turnê continua nas capitais do Chile, Peru, Colômbia e segue por estados americanos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.