Festival Eurovision divulga participantes da sua 53ª edição

Pela primeira vez, e devido ao recorde de músicas participantes, o evento terá duas semifinais

Efe,

21 de março de 2008 | 12h32

O comitê do festival de música Eurovision, que reúne anualmente representantes europeus e de Israel, já anunciou as canções que representarão os 43 países participantes em sua edição de 2008, a 53ª na história do evento.   A página oficial do festival começou a exibir na quinta-feira, 20, os vídeos das 43 canções, cada um deles com 15 minutos de duração.   Pela primeira vez, e devido ao recorde de músicas participantes, duas semifinais - em 20 e 22 de maio - pré-selecionarão 25 canções para a grande final em dia 24 de maio em Belgrado.   Os quatro países que mais contribuem com o orçamento do festival - respondem juntos por 40% - são França, Reino Unido, Espanha e Alemanha. Junto com a anfitriã Sérvia, os quatro "países doadores" não precisarão disputar as semifinais, já tendo participação na decisão garantida.   Belgrado e milhões de telespectadores poderão acompanhar ao vivo na final músicas como a sátira El Baile del Chiki Chiki, do representante espanhol Rodolfo Chikilicuatre, e a escolhida francesa - cantada em inglês - Divine, de Sébastien Tellier.   Montenegro e San Marino, que fazem sua estréia no evento este ano, competirão na primeira semifinal com Israel, Estônia, Moldávia, Bélgica, Azerbaijão, Eslovênia, Noruega, Polônia, Irlanda - a maior vencedora da história do Eurovision, com sete títulos -, Andorra, Bósnia-Herzegóvina, Armênia, Holanda, Finlândia, Romênia, Rússia e Grécia.   Os mais fiéis à balada clássica têm como máxima representante a canção norueguesa Hold On, Be Strong, de Maria Haukaas Storeng. Já a Moldávia chama a atenção pela sensualidade de A Century of Love, de Geta Burlacu.   A Holanda, com uma cantora de procedência marroquina, a Rússia, que repete seu participante do ano passado, o ídolo juvenil Dima Bilan, e ainda Montenegro, Armênia e Eslovênia apostarão, por sua vez, em músicas dançantes de pop convencional.   Os fãs do festival já se queixaram da baixa qualidade deste primeiro grupo com relação à segunda semifinal, disputada por Islândia, Suécia, Turquia, Ucrânia, Lituânia, Albânia, Suíça, República Tcheca, Belarus, Letônia, Croácia, Bulgária, Dinamarca, Geórgia, Hungria, Malta, Chipre, Macedônia e Portugal.   Sucesso de vendas em seu país, o dinamarquês Simon Matthew busca uma boa posição com All Night Long, enquanto o apoio popular dos concursos televisivos locais sustenta a candidatura portuguesa com Senhora do Mar, um fado de Vânia Fernandes, nascida na Ilha da Madeira.   Há uma variada seleção de músicas, que vão desde as mais solenes até paródias, marcando um ponto de inflexão para um festival que vive atualmente entre a decadência e a redefinição.

Tudo o que sabemos sobre:
Eurovisionfestival

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.