Festival destaca Bach e música brasileira

Um dos mais importantes festivais pedagógicos de música do País completa 20 anos com uma programação eclética e abrangente. O 20.º Festival de Música de Londrina, cidade do norte paranaense, reúne cerca de mil estudantes, 50 professores e dezenas de músicos convidados para lembrar dois temas principais: a música brasileira e os 250 anos da morte de Johann Sebastian Bach.O festival começa no dia 1.º e vai até 13 de julho, promovendo cerca de 55 cursos, seminários e workshops. É coordenado pelo maestro Norton Morozowicz, que já atuou como solista com Eleazar de Carvalho e Kurt Masur e fez uma festejada turnê com Jean-Pierre Rampal nos anos 80. Para celebrar o tema dos 500 anos do Descobrimento, Morozowicz misturou visões distintas da música brasileira. Para um seminário sobre o tema, ele convidou o francês Gérard Behague, etnomusicólogo que tem trabalhos sobre música negra no Brasil, na Nigéria e no Benin. Como concertistas, trouxe o músico que hoje é considerado o maior especialista brasileiro em moda de viola e música caipira: Roberto Corrêa. Corrêa, mineiro de Campina Verde com formação em Física, deixou a profissão científica para dedicar-se ao estudo e aprimoramento das técnicas da viola. Outra estrela da jornada é o contrabaixista Tião Neto, ex-integrante da banda de Tom Jobim. Neto foi um dos brasileiros que fizeram a fama da bossa nova nos Estados Unidos, nos anos 60. Além de Corrêa e Neto, estão no programa os concertistas Anna Yarovaia (pianista russa), Sonia Prazeres (cantora) e Aída Machado (pianista). Da Alemanha vem o conjunto de câmara Hambuger Klavier Trio. E, de Curitiba, o Quinteto de Sopros de Curitiba, que lançou no ano passado CD com gravações de Villa-Lobos e Ernesto Nazareth.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.