Festival de música eletrônica é a nova onda

Pode ser que a música eletrônica não tenhatomado conta do mercado internacional conforme as previsões do final dos anos 90, mas nunca tantos festivais dedicados ao gênero aconteceram ao mesmo tempo. Além dos grandes eventos deverão na Europa, que há vários anos incluem apresentações de DJs e produtores de techno e trance, as próximas semanas têm o Area: One e o Mekka Electronic Music Festival (nos EUA); a Love Parade (na Inglaterra); e o Ecosystem 1 (no Brasil).Organizado por Moby, o Area:One começou esta semana em Atlanta, com apresentações de Rinocerose, Carl Cox e Paul Oakenfold, alémdos hip-hoppers Outkast, The Roots e Incubus, entre outros. O festival atravessa o país até agosto, chegando na costa Oeste com uma atração especial: o New Order, em sua primeira série deshows desde 1994. A banda inglesa, que está lançando um novo disco, se apresenta em São Francisco, Seattle, Vancouver e LosAngeles.O Mekka Electronic Music Festival, que foi confirmado esta semana, também mistura música eletrônica com hip hop. Paul Oakenfold, Armand Van Helden e De La Soul são as principaisatrações do que já foi apelidado de Electronic Lollapallooza em referência ao festival alternativo dos anos 90. LTJ Bukem, Josh Wink, Derrick Carter, Roni Size, Deep Dish e Crystal Method também participam da programação. O evento deve passar por grandes cidades americanas, começando por Detroit, no dia 5 de agosto. As datas e locais vão estar postados nos próximos dias no site oficial do evento, noendereço www.mekkatour.com.Na semana que vem, Newcastle, no norte da Inglaterra, deve ser o cenário da Love Parade, organizada pela Radio 1, da BBC. O maiorevento de música eletrônica da cidade (inspirado pelo lendário festival de techno de Berlim) deve ter as participações de Fatboy Slim, Jon Carter, Darren Emerson e Pete Tong.O único problema é que o evento, marcado para o dia 21, ainda não conseguiu a aprovação oficial das autoridades. Um problema relacionado ao fluxo do tráfego de carros durante a parada aindaestá sendo discutido na cidade.Enquanto isso, na Amazônia, alguns dos maiores nomes do drum-n´-bass e formações inéditas que misturam música eletrônica e brasileira aparecem no Ecosystem 1, que começa no dia 2 de agosto. Organizado pelo DJ e empresário brasileiro Carlos Soul Slinger com o apoio do Greenpeace, o evento promete atrair atenção para a preservação do meio ambiente e "celebrar todos os ecosistemas".Entre os destaques, estão a Suba Dream Band, formada em homenagem ao produtor iugoslavo Mitar Subotic, morto em 1999, com participações de Mario Caldato (produtor dos Beastie Boys,entre outros) e Bid (do Funk Como Le Gusta); a apresentação da Nação Zumbi, com percussão e DJs; e o Boi Sound System, conhecida "equipe de som" da região de Manaus. A lista de atrações internacionais inclui os californianos do Cyberslam (que tem a participação de Trixie, do grupo Crystal Method); o DJ japonês Krush; os indianos do State of Bengal (com picapes, percussão e tablas); e os alemães do Air Liquide. Entre os DJs, estão os conhecidos Afrika Bambaataa, Spooky, Aphrodite,Dimitry (do Deee-Lite), Krust e Mixmaster Morris, entre outros. As informações estão no site oficial do evento, no endereçowww.ecosystem1.org.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.