Festival da Globo encerra 1ª eliminatória

A primeira eliminatória do Festival da Música Brasileira da Globo, transmitida ao vivo a partir das 22h40 de sábado, do Credicard Hall, apresentou 12 dos 48 candidatos, selecionados entre 24.190 inscritos. Terminou por volta da meia-noite com a vitória das canções: Estrela da Manhã, composição de Beto Furquim interpretada por Mônica Salmaso, Xi, de Pirituba a Santo André, composição de Rafael Altério interpretada por ele e Kleber Albuquerque, e Tubaína, de Fernando Chuí, que enfrentou problemas técnicos com a saída do som e teve de repetir seu número. Eles superaram outros nove concorrentes e farão a finalíssima do festival em 16 de setembro ao lado de mais nove candidatos, que serão selecionados nas próximas três eliminatórias. Os três primeiros colocados do festival e o ganhador de um prêmio especial de júri dividirão um prêmio de R$ 1 milhão.Foi uma grande noite para a música. Mas não extamente por causa dela. Ao contrário dos antigos festivais, desta vez a maioria dos concorrentes não é revelação. Ao contrário, são grandes conhecidos dos círculos musicais, e há até alguns veteranos. Como Walter Franco, que apresentou a ótima e afiada Zen. Ou Vicente Barreto, que mostrou Cisma, parceria sua com José Carlos Costa Neto. Muitos dos competidores vêm mostrando uma grande consistência artística em outros rodas e festivais, como Dante Ozzetti, que teve neste sábado sua composição Vão interpretada por Virgínia Rosa. Desta vez não deu, mas há poucos meses ele sagrou-se vencedor do terceiro Prêmio Visa de MPB - edição compositores, com a diferença que, então, teve de mostrar fôlego para emplacar, não uma música, mas uma série de novas composições a cada eliminatória. Também o classificado Rafel Altério passou pelo Prêmio Visa, ele que agora, com Kleber Albuquerque, vai às finais do Festival da Globo. Como também a cantora Mônica Salmaso, vencedora do Prêmio Visa 99 - Edição Intérpretes. Sua delicada e hipnotizante interpretação ajudou (e talvez tenha determinado) a classificação de Estrela da Manhã, de Beto Furquim.O festival apresenta também, em menor número, novatos. Como Fernando Chuí, que mostrou a bela e nervosa Tubaina. Debutante, como ele mesmo explicou, Chuí comoveu e conquistou a platéia ao debater-se com problemas com o microfone. Teve de refazer seu número, enquanto o apresentador Serginho Groisman explicava que espetáculos ao vivo são assim mesmo. Não são, mas o rapaz seguiu corajosamente no palco e reprisou a música, valendo-lhe a vaga nas finais.São grandes músicos, selecionados por um júri respeitável e eclético, de que fazem parte, por exemplo, o poeta Wally Salomão, o promotor do prêmio Sharp José Maurício Machline, e o jornalista do Caderno 2 Mauro Dias. Mas de um modo ou de outro, os competidores deste festival são artistas quase completamente ignorados do grande público, avessos à roda gigante das grandes gravadoras e sua imperiosa necessidade pelo descartável. Dar visibilidade à essa gente é o grande mérito do Festival da Globo (a mesma que há pouco vinha disputando atrações do axé, pagode e sertanejo).No entanto, como megaprodução, que incluiu troca de cenário a cada apresentação, o evento merece alguns reparos. Além dos microfones, as legendas eletrônicas com as letras das canções tiveram falhas. A apresentação de Serginho Groisman também. Surpreendentemente pouca à vontade na função, Groisman custou a pegar o ritmo da transmissão, e o resultado foram grandes silêncios e uma sucessão de frases truncadas. Saiu-se melhor a apresentadora Maria Paula, a quem coube entrevistar os artistas no entre-e-sai dos números.Caetano Veloso e Virgínia Rodrigues encerraram as apresentações, enquanto os jurados faziam seus votos. Depois de uma entediante apresentação de Sozinho, Caetano mostrou descontraídas versões de Trilhos Urbanos, Nosso Estranho Amor e até Alegria, Alegria, para delírio da platéia.Aliás, a platéia (como também Caetano Veloso) deu grandes mostras da distância que separa este Festival da Globo daqueles da Record. Excessivamente comportado, o público aplaudiu a tudo, de um modo entre o sistemático e o obrigatório. Não se notaram grandes preferências, e maiores demonstrações de entusiasmo, como captaram os repórteres da Globo, couberam mesmo aos familiares dos músicos. E a eles próprios, pouco acostumados à tamanha visibilidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.