Fatboy Slim vai agitar 11 cidades em fevereiro

O inglês Norman Cook, mais conhecido como o DJ das multidões Fatboy Slim, havia prometido a si e ao seu empresário que este ano não faria nenhuma turnê. Queria apenas trabalhar em estúdio. Ao que seu empresário respondeu: "Ok, mas e o Brasil?" E ele rebateu, instantaneamente: "Ó não, meu Deus! Para lá eu tenho de ir!". Esse amor exacerbado pelo País, que transborda em remixes especialmente produzidos para os brasileiros, foi crescendo aos poucos, desde a primeira vez em que esteve aqui, em 2001, no extinto Free Jazz. E a recíproca do público é legítima e verdadeira. Fatboy Slim é o DJ mais aguardado durante o verão verde-e-amarelo, principalmente depois de ter arrastado 1 milhão de pessoas no carnaval de Salvador no ano passado. Por que você acha que as pessoas são tão fascinadas por você aqui? "Porque acredito que era para eu ser brasileiro", responde, no ato. "Principalmente no que diz respeito à boa aparência e na ótima comunicação na língua portuguesa", diverte-se, cinicamente. "Nós rimos das mesmas piadas, curtimos as mesmas músicas e bebidas." No dia 29, o mais bem-humorado dos DJs estrangeiros desembarca no País para realizar uma turnê em 11 cidades brasileiras, entre elas, algumas por onde nunca havia passado anteriormente, como Guarapari, no Espírito Santo (dia 7/2), e Caldas Novas, em Goiás (18/2). As outras cidades contempladas são Recife (1º/2), Belo Horizonte (2/2), Atlântida (3/2), Rio (10/2), Brasília (11/2), Balneário Camboriú (17/2), Porto Seguro (21/2) e, obviamente, Fatboy estará no auge do carnaval de 2007 em Salvador, no Bloco D+ (20/2). "Desta vez vou para a turnê com a minha família. Meu filho volta antes para a Inglaterra, mas a minha mulher ficará comigo no carnaval em Salvador. Ela perdeu o carnaval do ano passado e ficaria louca se perdesse o deste ano" conta. No próximo dia 9, o inglês dá o ar de sua graça na capital paulistana. O local escolhido para a apresentação do álbum Fala aí (lançado somente aqui, "feito especialmente para vocês") e outras muitas surpresas é a Pacha (Rua Mergenthaler, 829, tel. 11-2189-3700, pela bagatela de R$ 150 para mulheres e R$ 250 homens, valores do 1.º lote). Entre os projetos de um dos mais aclamados DJs do mundo estão um musical feito em parceria com David Byrne, ex-líder dos Talking Heads, sobre a ex-primeira dama das Filipinas Imelda Marcos, dona da maior coleção de sapatos; e duas trilhas sonoras: uma para um longa de músicos cubanos, gravado em Havana, e outra para a próxima animação da Pixar/Disney, dirigida por Danny Elfman. O desenho está previsto para ser lançado em março e ainda não teve o seu nome definido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.