Fãs pagam caro para ver Bob Dylan em São Paulo

Entradas estão entre R$ 400 e R$ 900; solução são pacotes de viagens para conferir show no Rio ou no exterior

Marina Ramos, do estadao.com.br,

29 Fevereiro 2008 | 18h03

Está tudo pronto para o Brasil receber o grande astro do folk Bob Dylan, que fará apresentações no Via Funchal, em São Paulo, nos dias 5 e 6 de março para divulgação de seu CD Modern Times, lançado em 2007 após uma pausa de cinco anos. Dylan ainda se apresentará no Rio de Janeiro no dia 8. Contudo, os preços dos ingressos para ver o cantor ao vivo não facilitam a vida dos fãs. O valor dos ingressos disponíveis varia de R$ 400 a R$ 900 em São Paulo e a solução encontrada por muitos são pacotes de viagens para conferir a performance no Rio ou no exterior.  Veja também: Suplicy pede show grátis no Ibirapuera A chance de ver Bob Dylan de perto Bob Dylan inicia no México turnê pela América LatinaBob Dylan, o poeta do rock   Para São Paulo, as entradas mais baratas, no setor 'platéia lateral', de R$ 250, já estão esgotadas. A mais barata agora é a 'platéia 3', de R$ 400, e mesmo assim, apenas para quarta-feira, 5 de março. No Rio de Janeiro, o show acontece no Rioarena e o valor sai mais em conta: vai de R$ 150 a R$ 360.  As próximas paradas do cantor depois do Rio são Chile, Argentina e Uruguai. Em Buenos Aires, o show está previsto para o dia 15 e é o destino preferido dos fãs que não conseguiram entradas em São Paulo por conta do preço. O custo na Argentina é muito inferior: varia de R$ 40 a R$ 200. A assessoria da produção do show, a Media Mania, declarou que o valor em São Paulo é alto "porque é uma apresentação cara mesmo". "Esse é mesmo o custo da contratação do show", afirmou um funcionário da empresa. Dylan veio a primeira vez ao Brasil em 1990. A última visita de Dylan ao Brasil foi em 1998. Esta será a quarta passagem dele pelo País. Com Modern Times, Dylan já faturou várias indicações e prêmios, incluindo o Grammy de melhor álbum em 2006.

Mais conteúdo sobre:
Bob DylanturnêBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.