Fãs correm atrás de ingressos para ver McCartney em Tel-Aviv

Após 43 anos da proibição do show dos Beatles no país, Israel receberá o cantor em 25 de setembro

Ansa,

27 de agosto de 2008 | 15h21

Uma multidão de fãs dos Beatles tem corrido atrás dos ingressos, que começaram a ser vendidos há dois dias, para ver a única apresentação que Paul McCartney fará em Tel-Aviv em 25 de setembro. A empresa Lean denunciou "um tráfego excepcionalmente intenso" de pessoas em seu site. As linhas telefônicas para a venda dos ingressos estão sempre ocupadas. Na internet, alguns fãs afirmam terem conseguido os ingressos somente de madrugada após muitas tentativas. Ao todo, 70 mil ingressos foram colocados à venda. Os lugares VIP custam 10 mil shekel (mais de R$ 6 mil). O acesso aos camarotes custa 1.500 shekel (quase R$ 700), enquanto os ingressos mais modestos estão na faixa de 500 shekel, um pouco mais de R$ 233. Os organizadores do evento informaram aos jornalistas que, diferentemente do que geralmente ocorre, não serão distribuídos convites. O show proibido dos Beatles em Tel-Aviv em 1965 entrou para a história de Israel. Na época foi dito que os líderes do partido trabalhista proibiram os quatro músicos ingleses de se apresentarem para evitar expor os jovens israelenses a um "mau exemplo". Mais tarde, no entanto, esclareceu-se que o show foi na realidade anulado devido à rivalidade entre dois organizadores.

Tudo o que sabemos sobre:
Paul McCartneyTel-AvivBeatles

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.