Guilherme Sobota/Estadão
Guilherme Sobota/Estadão

Far From Alaska confirma favoritismo e põe Lollapalooza no bolso

Grupo do Rio Grande do Norte, com destaque para voz de Emmily Barreto, abriu atrações do palco Onix neste domingo de festival

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

29 Março 2015 | 13h31

Outra banda que confirmou as expectativas no Lollapalooza Brasil, abrindo os trabalhos no palco Onix, foi o Far From Alaska.

A abertura com a excelente Thievery tomou o público de assalto: quem estava sentado no imenso gramado atrás do palco Onix se sentiu obrigado a levantar assim que Rafael Brasil tocou o primeiro acorde da sua guitarra. A voz de Emmily Barreto é a melhor coisa que o rock brasileiro produziu na última temporada.

Misturando um rock' n' roll moderno com pegadas eletrônicas lideradas pelo sintetizador de Cris Botarelli e letras criativas em inglês, o Far From Alaska consegue receber as influências do stoner e fazer uma música que é ainda mais vibrante ao vivo.

Demonstrando entrosamento de campeão, a banda fez um dos melhores shows do festival até aqui. Merecia um horário melhor.

O grupo formado em Natal (RN) apareceu em todas as listas de melhores do ano em 2014 com o ótimo modeHuman, álbum de estréia, e sua mistura potente e criativa de uma guitarra barulhenta, sintetizadores bem empregados e a voz impressionante de Emmily Barreto.

Se neste sábado, 28, Jack White encerrou o festival com sua poderosa demonstração de poder, bebendo em fontes diferentes do rock e da música eletrônica, neste domingo, 29, o Far From Alaska mostrou que não é preciso ir longe para fazer um show divertido.

"Cheguei ao topo", brincou Emmily no palco. Não chegou, não. Ainda tem muito chão. Roqueiros, fiquem tranquilos. Quem diz, em 2015, que o rock está morto, certamente nunca viu um show do Far From Alaska.

A banda é formada por Emmily Barreto(vocal), Cris Botarelli (sintetizadores), Lauro Kirsch (bateria), Rafael Brasil(guitarra) e Eduardo Filgueira (baixo).

Mais conteúdo sobre:
Lollapallooza Música Far From Alaska

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.