Familiares de Proof silenciam sobre sua morte

Novas informações sobre o assassinato de Proof, integrante do grupo de rap D12 e amigo de Eminem, que foi assassinado a bala na madrugada desta terça-feira em um clube noturno situado em Eight Mile Road, foram divulgadas por seu agente.A morte de Proof, cujo nome era Deshaun Holton, foi confirmada por Dennis Dennehy, o representante da InterscopeRecords, o selo da gravadora de D12."Enquanto seu sepultamento não for realizado, seus amigos e familiares querem manter a privacidade durante este momento difícil", disse Dennehy, em uma declaração.Proof foi padrinho de casamento de Eminem em janeiro e sempre se apresentava junto com o popular rapper em shows e apareceu inclusive no filme 8 Mile, estréia de Eminem no cinemaAstro do rap, Proof foi membro fundador do grupo D12 e amigo próximo do célebre Eminem, foi assassinado com um tiro durante uma briga no Club CCC localizado na mítica 8 Mile Road, a rua imortalizada no filme quase autobiográfico de Eminem e no qual Proof também atuou.A polícia disse que Proof morreu depois de receber um tiro na cabeça e morreu à caminho do hospital. Wende Berry, uma porta-voz do centro de saúde St. John Health System, disse que Holton estava morto quando chegou no pronto socorro do hospital. Outro homem de 35 anos também recebeu disparos e continua internado em estado crítico. As autoridades não prenderam nenhum suspeito, mas estão investigando várias pistas, segundo informou o sargento Omar Feliciano.A criação do grupo D12 de Detroit, com a participação de Eminem foi uma idéia de Proof. O D12 existe desde meados de 1990, quando os integrantes se conheceram no Hip-Hop Shop, uma loja de roupas de Detroit e num club noturno de hip-hop que freqüentavam durante a noite.Os familiares e os membros do grupo se reuniram em uma casa no setor noroeste de Detroit. A rua residencial em frente à casa de dois andares estava repleta de carros estacionados.Outro amigo de Eminem, o rapper Obie Trice foi baleado quando percorri uma autopista da área de Detroit em dezembro passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.