Família de Herbert estuda tratamento em Cuba

A família do cantor e compositor Herbert Vianna está analisando a possibilidade de o músico ir para Cuba tratar a sua lesão medular no Centro Internacional de Reabilitação Neurológica, que tem uma clínica especializada em traumas de coluna. A proposta foi apresentada ao pai do cantor, o brigadeiro Hermano Vianna, por um representante da embaixada cubana no Brasil.Herbert Vianna está paraplégico desde que sofreu um acidente de ultraleve, no dia 4 de fevereiro, e, segundo os médicos, tem 50% de chances de voltar a ter movimentos nas pernas no prazo de um ano. O neurocirurgião Paulo Niemeyer disse hoje que somente depois que o cantor estiver totalmente recuperado das lesões cerebrais se poderá avaliar a possibilidade de enviá-lo a algum grande centro internacional de reabilitação. Segundo o médico, Herbert mostra-se cada vez melhor e, hoje, chegou a cantar músicas dos Paralamas do Sucesso."É preciso que ele esteja totalmente lúcido para colaborar com o programa de reabilitação", explicou "Mas vamos avaliar outros lugares também; na minha opinião, se for o caso, ele pode ir para os Estados Unidos." No Brasil, existem poucas instituições bem aparelhadas na área de reabilitação - uma delas é o Hospital Sarah Kubitschek, em Brasília, considerado uma referência na área. Segundo Niemeyer, não há nenhuma previsão ainda para que se defina o tratamento a ser seguido.De acordo com o site da instituição cubana na Internet, a primeira fase do tratamento dura, em média, sete dias e consiste no diagnóstico e na avaliação do tipo de lesão e das possibilidades de recuperação do paciente. Em uma segunda etapa, que dura no mínimo 28 dias, é posto em prática o programa terapêutico. No caso de a família de Herbert aceitar a proposta do governo cubano, o programa seria desenvolvido na clínica de lesões medulares.O cantor deverá ter alta do hospital Copa D´Or na próxima semana. Em um primeiro momento, ele receberá cuidados médicos e fisioterápicos em casa. A empresa Med-Lar, especializada em cuidados médicos em casa, já fez uma avaliação da residência do músico para instalar ali os aparelhos necessários. Pequenas obras serão feitas para alargar as portas da casa. "Em princípio, vamos levar para a casa dele uma cama hospitalar elétrica, uma escadinha, um suporte de soro, uma cadeira de rodas e uma cadeira higiênica, além de disponibilizar uma equipe de enfermagem 24 horas por dia", enumerou o diretor de marketing da Med-Lar, Renato Castelo Branco. "Mas estamos aguardando ainda as prescrições do dr. Paulo Niemeyer", acrescentou, referindo-se ao neurocirurgião que trata de Herbert Vianna. Um pacote básico da Med-Lar custa, em média, R$ 250 por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.