Família de George Harrison acusa médico de coerção

A família de George Harrison entrou com uma ação contra o médico Gilbert Lederman, do Hospital da Staten Island University, em que o acusa de forçar o ex-beatle a autografar um violão, duas semanas antes de sua morte, em 2001.Conforme a denúncia, Harrison, fragilizado, teria hesitado em assinar o instrumento, dizendo que não estava em condições nem de saber como escrever seu próprio nome. "Vamos, você consegue", teria coagido o médico, pegando na mão do ex-beatle, que então concretizou o autógrafo "com muito esforço e óbvio desconforto".Lederman nega a coerção. Em resposta ao processo, o médico ofereceu o violão - que pertence a seu filho - para doação. Mas a família de Harrison não quer acordo, reafirmando que o autógrafo foi obtido de maneira abusiva e cruel.

Agencia Estado,

08 de janeiro de 2004 | 12h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.