Fagner revela poeta cearense em novo CD

Donos do Brasil, novo CD do cantor e compositor Raimundo Fagner, que acaba de sair pela Indie, tem a nítida influência do poeta cearense Francisco Carvalho, um professor universitário tão discreto e tímido, que ainda não apareceu pessoalmente para Fagner e Capinam, mas influenciou todo o CD, mesmo que tenha letras em apenas 5 das 13 faixas. "Ele é cearense como eu, só que eu não o conhecia e o que me atraiu foi sua qualidade e atualidade. Ao contrário de outros parceiros, não mudei nem uma palavra de sua poesia. Não tinha intimidade com ele e algumas estavam prontas havia muito tempo, não podiam ser mexidas", conta Fagner. Apesar de pouco conhecido, Francisco Carvalho tem uma antologia, Memórias do Espantalho, publicada pela Universidade Federal do Ceará (UFC). "Ele recusa-se a dar entrevistas, fazer televisão, mesmo que a gente insista que, com um trabalho na rua, isso é necessário", diz Fagner. "Mas a sua poesia atrai tanto quanto a de outros poetas que já musiquei em outras épocas (as mais conhecidas são a brasileira Cecília Meireles e a portuguesa Florbela Espanca)." A partir da faixa inicial, O Bicho Homem é ao mesmo tempo contundente e doce, Cesta Básica faz percussão com palavras e Reino é um soneto que ganha grandiosidade com a melodia de Fagner. Segundo o cantor, "não houve uma intenção prévia de fazer um disco político ou romântico, tudo foi acontecendo normalmente."Disco lançado, Fagner fica no Ceará em outubro, envolvidíssimo com as eleições, já que ele sempre se meteu na política de seu Estado (e pouco na nacional). Em novembro, volta ao Rio para gravar o DVD desse disco. Para o show ele quer chamar a Bibi Ferreira para dirigir, "pois ela é a melhor pessoa para destacar a poesia dessas músicas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.