Ex-segurança diz ter visto Jackson beijar menino

Um ex-segurança do rancho Neverland, do cantor Michael Jackson, disse hoje em seu depoimento no julgamento do astro que, no começo dos anos 1990, viu o cantor fazer sexo oral em um garoto que, anos depois, fez um acordo milionário com Jackson.Representantes do garoto Jordy Chandler, que teria sofrido o abuso, fecharam um acordo com Jackson, para que o cantor não fosse processado. Em troca, o artista teria pago a ele mais de US$ 20 milhões.Na segunda-feira, os jurados ouviram o testemunho de Jason Francia, que disse ter sido abusado sexualmente por Michael Jackson. Em três ocasiões. Hoje um homem de 24 anos e filho de uma ex-empregada doméstica de Jackson, Francia chorou ao relatar ao júri como teria sido molestado pelo cantor 15 anos atrás, no rancho dele, Neverland. Hoje, o ex-segurança Ralph Chacon foi chamado pela acusação do julgamento de Jackson por pedofilia, na continuação da estratégia de mostrar que o cantor tem um padrão de comportamento suspeito, e assim dar força aos argumentos do atual acusador, Gavin Arvizo, com 13 anos na época do suposto abuso, em 2003.Chacon disse que estava fazendo sua ronda na propriedade de Jackson em um turno noturno no final de 1992 ou começo de 1993 quando viu Jackson e o garoto em uma banheira de hidromassagem. Ele disse que mais tarde viu os dois tomarem banho juntos, saírem do chuveiro e ficarem nus em frente um ao outro.O ex-segurança disse que Jackson acariciou os cabelos do menino, beijou-lhe a boca e em outras partes, antes de começar o sexo oral. Chacon testemunhou que, naquele momento, saiu.Chacon disse que algumas semanas, ou um mês depois, ele viu Jackson beijar o garoto. Ele disse que o beijo foi "apaixonado" e que Jackson colocou as mãos perto da genitália do menino.Durante o interrogatório pela defesa de Jackson, a credibilidade de Chacon foi atacada. O advogado do cantor, Thomas Mesereau Jr., rapidamente disse que Chacon havia processado Jackson, alegando ter sido demitido injustamente e que Jackson também o havia processado, acusando Chacon de tê-lo roubado. A testemunha afirmou que teve de pagar US$ 25 mil por supostamente roubar a propriedade de Jackson, que ele disse ter sido apenas uma barra de doce. Ele também disse que ele e outros tiveram de pagar US$ 1 milhão em despesas legais para Jackson, mas que não pagou nada porque decretou falência.O menino a que Chacon se referiu fez um acordo multi-milionário com Jackson em 1994 e recusou-se a cooperar em uma investigação policial. Nenhuma acusação criminal foi feita contra Jackson naquele caso.Jackson, de 46 anos, está sendo julgado por molestar um menino de 13 anos em 2003. O juiz decidiu que a acusação poderá usar provas de acusações antigas contra Jackson, envolvendo cinco garotos, entre eles o ator Macaulay Culkin.O segurança testemunhou depois de um dia de recesso no julgamento, para que Jackson fosse a Los Angeles para o funeral de seu ex-advogado, Johnnie Cochran Jr., que o representou no acordo de 1994.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.