Ex-líder do Libertines é preso por agressão

Pete Doherty, ex-líder do grupo de rock Libertines, foi preso sob suspeita de agressão e roubo, disse seu porta-voz. Doherty, de 25 anos, está preso em um delegacia ao norte de Londres por ter brigado com um documentarista, disse o assessor dele Tony Linkin. Doherty, que foi expulso do Libertines por não conseguir controlar seu problema com as drogas, é namorado da supermodel Kate Moss.A Polícia Metropolitana de Londres disse apenas que policiais prenderam na quarta-feira um homem de 25 anos sob suspeita de agressão, roubo e por machucar alguém. Um porta-voz disse que ninguém foi acusado com relação ao incidente, apesar de o suspeito continuar sob custódia. O porta-voz adicionou que um homem, em seus 30 anos, foi levado para o hospital com ferimentos leves no rosto, mas foi liberado.Perguntado sobre mais detalhes sobre a prisão, Linkin se referiu a reportagens de jornais, inclusive uma do Daily Mirror em que o cineasta Max Carlish disse que Doherty o atacou porque ele se recusou a dar-lhe dinheiro para suprir seu vício em drogas. Doherty já admitiu publicamente que usa drogas pesadas.Carlish, de 38 anos, que filmou um documentário sobre a nova banda do cantor, Babyshambles, disse que precisou de tratamento hospitalar para cuidar de dois olhos roxos e um nariz quebrado. "Eu estava em um hotel com Pete e tudo estava indo bem até que ele começou a pedir grandes quantidades de dinheiro", disse Carlish na reportagem do The Daily Mirror. Eu sabia que ele ia sair e gastar o dinheiro em heroína"."Ele estava desesperado por uma dose. Eu disse não e ele ficou possuído, batendo em mim. Não havia nada que eu pudesse fazer... Ele estava louco". Não estava claro no boletim da polícia o que foi o alegado roubo. Segundo a BBC, Carlish disse ter vendido fotografias mostrando Doherty usando heroína a um jornal de domingo e que ele havia decidido não processar o músico. "Sinto pena de Pete. Ele se encrencou bastante agora", citou a BBC como frase de Carlish. "De verdade, eu não ficaria surpreso se, em três semanas, ele aparecesse pendurado em um corda em uma cela de cadeia em algum lugar. Não quero que aconteça, então não vou processá-lo."Ele foi preso por seis meses por invadir a casa de seu colega do Libertines Carl Barat, em 2003, e em setembro do ano passado a quatro meses de prisão por posse de arma branca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.