Ex-baixista de Bob Marley exige herança milionária

Aston Barrett, ex-baixista do cantor de reggae Bob Marley, reivindicou hoje no Tribunal Superior de Justiça do Reino Unido cerca de 88 milhões de euros da herança do músico jamaicano, morto há 25 anos.O músico reivindica os direitos autorais pelos contratos de gravação que ele e seu irmão Carlton, que morreu em 1987, haviam assinado com Marley entre 1974 e 1975, além dos lucros referentes às seis músicas que compôs com o artista.Em seu discurso no tribunal, o advogado de Barret, Stephen Taco, afirmou hoje que seu cliente e o irmão dele, baterista do grupo, deram à música de Marley um som único, o que contribuiu para o sucesso do reggae no mundo todo.Taco explicou que Marley e os irmãos Barrett assinaram um primeiro contrato com o selo Island em 1974, um ano depois de a formação original da banda do cantor, The Wailers, se desmanchar com a saída dos músicos Peter Tosh e Bunny Livingston.Aston Barrett prometeu então a Marley recompor o grupo com novos músicos."Bob concordou e decidiu formar uma nova banda, repartindo o dinheiro de forma eqüitativa", disse o advogado. Ele ressaltou que neste primeiro contrato foram incluídos os nomes dos irmãos Barrett e de Marley.Após o sucesso de seu primeiro álbum, Natty Dread, a banda assinou um segundo contrato para produzir seis outros discos.O advogado explicou que os problemas financeiros dos Barrett começaram após a morte de Marley, em 1981, quando sua viúva se tornou administradora do seu legado.Barrett é um dos vários músicos que trabalharam com o ídolo jamaicano e que entraram com ações na Justiça. O artista morreu sem deixar testamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.