Ex-amante de Ian Curtis morre em Bruxelas, na Bélgica, aos 56 anos

Annik Honoré foi a inspiração de 'Love Will Tear Us Apart'

Jotabê Medeiros, O Estado de S. Paulo

03 de julho de 2014 | 18h38

Morreu nesta quinta-feira, 3, em Bruxelas, aos 56 anos, a jornalista belga Annik Honoré, que viveu tumultuado romance com o cantor Ian Curtis, da banda Joy Division, nos anos 1970. Para Annik, ele teria composto Love Will Tear Us Apart, a canção mais famosa do grupo (e que fala dos problemas de relacionamento dele com a então mulher, Deborah). Curtis se suicidou em 1980, aos 23 anos.

Annik conheceu o cantor quando trabalhava na Embaixada da Bélgica em Londres, em 1979. Este era casado com Deborah, no mesmo ano em que Ian e Deborah tiveram uma filha, Natalie. A viúva a descreve de forma não muito elogiosa no livro Tocando à Distância (lançado recentemente no Brasil pela Edições Ideal).

Após assistir ao show do Joy Division no Nashville Rooms, Annik foi tentar uma entrevista com a banda. Após a entrevista, ela e Ian juntos ouviram Low, de David Bowie, e se apaixonaram. "O filme de Anton Corbijn retrata bem a cena", ela disse, pouco tempo atrás. Segundo Annik, por conta das drogas que tomava, Ian Curtis não era o tipo de amante exemplar, não conseguia consumar atos sexuais. Ela caracterizava sua relação mais como um affair platônico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.