Wikimedia Commons
Wikimedia Commons

Evolução: A tecnologia da reprodução e gravação de sons até o LP

Como as novas invenções permitiram a reprodução de sons gravados ao longo da história

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

28 de julho de 2019 | 03h00

1857 - Fonoautógrafo

O aparelho inventado pelo francês Édouard-Léon Scott de Martinville é a primeira tecnologia de gravação de sons, mas ainda incapaz de reproduzi-los. O objetivo era o estudo visual das ondas, gravadas em papel ou madeira (em formato de cilindro) a partir da vibração sonora do ar.

1877 - Fonógrafo

Thomas Edison e sua equipe inventam o fonógrafo (ao lado), o primeiro aparelho de som capaz de gravar e   reproduzir sons, também a partir de  um cilindro, de estanho, fixo na máquina. 

1886 - Cilindro removível

Quando Alexander Graham Bell e Charles Tainter aprimoram a invenção de Edison e possibilitam a remoção do cilindro dos fonógrafos, a comercialização começa a pegar. Na mesma época, Edison desenvolve o cilindro maciço de cera, garantindo mais durabilidade.

1888 - O disco

O alemão radicado nos EUA Emile Berliner patenteia a criação do disco plano, e seis anos depois os primeiros objetos são comercializados nos EUA, feitos de vulcanite (espécie de borracha). O formato de gravação ainda é primitivo, mas a produção ganha força e volume. 

1910- O 78 rpm

O disco de goma-laca (ao lado) de 78 rotações por minuto se transforma no principal produto de comercialização de sons gravados no mundo. 

1924 - A gravação elétrica

Diversos experimentos ao redor do mundo introduzem a gravação elétrica, com o uso de microfones para ampliação do sinal sonoro. Antes disso, o processo era mecânico.

1948 - O LP e a fita magnética

O disco de vinil de 33 rotações por minuto é introduzido no mercado comum pela Columbia Records. Esse formato substitui em larga escala o 78 até o fim da década de 1950. No mesmo ano, a gravação em fita magnética revoluciona a indústria musical.

Tudo o que sabemos sobre:
música

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.