Eugénia Melo e Castro mostra "Surpresas" no Sesc

Há 20 anos, a intérprete portuguesa Eugénia Melo e Castro batia à porta do pianista e arranjador Wagner Tiso. Ela levava para ele um projeto de aproximar a música portuguesa à brasileira. Tiso aceitou e foi a Portugal produzir o primeiro disco dela, Terra de Mel, lançado em 1981. Desde então, o vínculo musical mantém-se com criatividade e companheirismo. A parceria será mostrada, de amanhã a domingo, com o show comemorativo Surpresas, no Sesc Pompéia."Sinto-me muito feliz e responsável por essa história musical, por ter acreditado nela", afirma Tiso. A partir dele, Eugénia estabeleceu uma ligação definitiva com a música brasileira. Dos seus dez trabalhos, nove foram produzidos por ele. Nestes 20 anos, a cantora conseguiu promover uma série de encontros com nomes importantes da MPB, que, além de extremamente refinados, são documentos da nossa cultura. Desde o dia 23 de abril, a TV Cultura tem exibido a série Atlântico, criada e apresentada por Eugénia. Os programas foram gravados em Portugal, no verão de 1998. Trata-se de um projeto musical, com duetos inéditos. Maria Bethânia e António Alçada Baptista, Edu Lobo e Sérgio Godinho, Ney Matogrosso e Paulo Bragança, Leila Pinheiro e Rui Veloso são algumas das duplas que participaram dos 14 programas da série. Além de música, o programa tem entrevistas, pontuadas pelo escritor Nelson Motta. Entre vários, outro importante registro é a canção Surpresas, uma parceria inédita com Gonzaguinha, que dá título ao espetáculo. "Eu me sentia constrangida de gravá-la num álbum", conta. "Principalmente porque foi feita um pouco antes da sua morte, em 1987", revela. "Eu sempre tive a preocupação em priorizar as coisas corretas na minha carreira e nunca de me promover pelos meios errados". E somente agora se sentiu preparada para mostrar a canção. "Quando crescer, quero ser como Chico Buarque: sempre correto, íntegro e distante das armadilhas do mercado", brinca.Surpresas, além de fazer parte do show e dar-lhe título, integra o repertório do CD homônimo, a ser lançado em breve, pela Eldorado. O disco é um apanhado de belíssimos duetos com artistas brasileiros. "São músicas escolhidas com a intenção de homenagear a língua portuguesa por meio da interpretação brasileira", conta ela, referindo-se ao repertório. Estão, entre os parceiros, Tom Jobim, Chico Buarque, Caetano Veloso, Milton Nascimento, Simone, Egberto Gismonti, Carlos Lyra, Ney Matogrosso e, naturalmente, Wagner Tiso. Outra inédita do álbum é Emissário de um Rei Desconhecido, com Toninho Horta.O espetáculo Surpresas tem outro repertório, bem mais abrangente. Nele, Tiso compôs novos arranjos para todas as músicas. Em Espera Coração, de Custódio Mesquista, ele teve de criar a harmonia. "Só existia a letra e melodia, que foram registradas num gravador, naquele primeiro momento intimista", diz. "Os arranjos têm o caráter de tornar comum a música para as duas culturas". Como Tiso faz fronteira com a música popular e a erudita, o trabalho de Eugénia ganha ainda mais refinamento. "Utilizo um pouco da instrumentação clássica, mas nunca perco de vista que é um espetáculo popular, vibrante", afirma. O show será gravado e lançado em CD, no fim do ano.Eugénia Melo e Castro e Wagner Tiso - De amanhã à domingo, às 21 horas. R$ 15,00 e R$ 7,50 (estudantes, comerciários e aposentados). Sesc Pompéia. Rua Clélia, 93, tel.3871-7700.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.