Eugénia MC, uma versão dançante

Eugénia Melo e Castro mudou deassinatura. Deixou o sobrenome apenas nas iniciais e agora éEugénia MC. A cantora portuguesa lança seus discos em muitospaíses. Explica que em várias línguas fica difícil a pronúnciado Melo e Castro. Sobrenome que, além de tudo, torna seu nomecomprido.Ela é a atração de amanhã e sábado no SupremoMusical. Grande divulgadora da música brasileira em sua terra,amiga e parceira de grandes nomes da MPB, está comemorando 23anos de carreira e, na curta temporada paulistana, promove olançamento de três CDs.Ou melhor: repõe no mercado um disco há bastante tempoesgotado, apresenta um novo, já nas lojas, e antecipa olançamento de um terceiro. O relançamento é da compilaçãoDuetos - Eugénia Melo e Castro.com, que tem selo dagravadora Eldorado. Em 20 anos de estreita convivência com amúsica brasileira, ela gravou a duas vozes com gente do calibrede Tom Jobim, Chico Buarque, Caetano Veloso, Ney Matogrosso,Gonzaguinha, Gal Costa e mais. Seus discos "brasileiros"traziam, nos arranjos, assinatura do parceiro e admirador WagnerTiso.O que já está nas lojas é Motor da Luz (Eldorado),quase todo de músicas brasileiras, repertório primoroso queinclui Meia Noite (Edu Lobo e Chico Buarque), EstrelaPequenina (Hekel Tavares), O Motor da Luz (Caetano Veloso), Viver sem Ninguém (Valzinho e Marcelo Machado),Estrelas (Arnaldo Antunes e Sérgio Britto).Não-brasileiras são The Laziest Girl in Town, deCole Porter; a portuguesa Quando a Tua Boca Beijo, canção deamor de 1920 assinada por Mário de Vasconcelos, Sá Ferreira daSilva e M. Bale Vieira Braga; e, ainda, a versão que NelsonMotta fez, em 1985, para a italiana E Pocheta, que virou, emportuguês, Bem Que se Quis - aquela balada que lançou MarisaMonte.A direção musical e os arranjos são, como sempre, deWagner Tiso. Eugénia assina uma faixa - parceria dela e deGonzaguinha, de 1987, Surpresas. A capa do disco traz o anoem que as músicas foram feitas. Uma bela idéia que os capistasde toda parte do mundo deveriam adotar.O pré-lançamento é o do CD Paz, que a Eldorado levaàs lojas brasileiras em julho, mas que saiu na Europa no fim doano passado e já ganhou, por lá, prêmio de vendagem. É diferentede tudo o que Eugénia já fez. Tem acento eletrônico, em sintoniacom a moda das casas de dança. Na capa de Paz, o novo nomeda cantora - Eugénia MC. Também na capa, uma nova imagem dacantora, de cabelos penteados para cima, espetados. Diferentedos outros gravados em 23 anos de carreira, Paz é todo decomposições de Eugénia - ela assina as 13 músicas, a maior partedelas em parceria com Eduardo Queiroz, também diretor musical earranjador.O repertório do show de amanhã e sábado no Supremo équase todo de canções de Paz. Eugénia promete, de discosanteriores, a citada O Motor da Luz, de Caetano, e Dançada Lua, de Ronaldo Bastos e Túlio Mourão, música do discoDuetos.Eugénia MC - é bom acostumar - terá como acompanhantes oparceiro Eduardo Queiroz (samplers, teclados, piano eprogramação) e os brasileiros Ulisses Rocha (violão) e RenatoConsorte (contrabaixo). Será possível dançar, no Supremo?Eugénia Melo e Castro. Sexta e sábado, às 22 horas. R$30,00. Supremo Musical. Rua Oscar Freire, 1.000,São Paulo,tel.3062-0950.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.