"Eu vi Jackson tocando meu irmão", diz testemunha

O irmão mais novo do garoto que acusa Michael Jackson de abuso sexual descreveu em detalhes aos jurados ter visto o astro pop molestar seu irmão duas vezes enquanto dividiam a mesma cama no rancho Neverland. O garoto, cujo depoimento começou ontem, não definiu as datas dos incidentes, que a acusação diz ter acontecido depois da exibição pela televisão do documentário Vivendo com Michael Jackson, em fevereiro de 2003.O garoto, hoje com 14 anos, disse que ficou surpreso quando viu Jackson tocando seu irmão. Ele disse ter aberto a porta do quarto de Jackson e olhado direto para a cama. "Eu vi que meu irmão estava em cima das cobertas. Eu vi a mão esquerda de Michael dentro das calças de meu irmão e a mão direita dele dentro da própria calça", ele disse. Ele descreveu que o cantor estava se masturbando. Dois dias depois, ele disse ter visto a mesma cena na casa do cantor. "Eu subi as escadas. A mesma coisa estava acontecendo, mas meu irmão estava dormindo. Michael estava se masturbando, enquanto tocava meu irmão com a mão esquerda". A testemunha disse não ter contado nem para sua mãe ou para sua irmã sobre o que viu e que também não tocou no assunto com o irmão. "Eu não sabia o que fazer. Eu voltei para o meu quarto", disse o garoto. Ele disse que a primeira pessoa para quem comentou o caso foi o psicólogo Stan Katz, que conversou com o garoto e avisou as autoridades.O menino também descreveu um incidente em que Jackson agarrou um manequim e "fingiu ter relações sexuais com ele". A acusação exibiu uma foto do manequim: uma menina com tranças. Ontem, o garoto disse que Jackson mostrou a ele e a seu irmão sites pornográficos, deu-lhes vinho e dormiu na mesma cama que eles, além de aparecer e sexualmente excitado na sua frente. "Eu e meu irmão estávamos vendo um filme e Michael passou por nós nu", disse a testemunha. "Eu e meu irmão ficamos com nojo. Ele se sentou na cama e disse que era natural".Falando com calma, diretamente e com frieza, ele disse que o abuso aconteceu pouco depois de Jackson mostrar aos meninos revistas de sexo explícito que ele guardava em uma pasta em seu quarto. O promotor Tom Sneddon projetou em uma tela na corte as capas das revistas, inclusive uma chamada Barely Legal (Quase Legais), que mostrava uma jovem muito nova com os seios expostos.O garoto disse que Jackson levantou o tema de masturbação pela primeira vez com ele, perguntando se ele já havia feito. O garoto disse ter respondido não. "Então ele me disse: ´todos fazem. Você devia experimentar. É bom´", disse a testemunha. Ele também disse que Jackson fazia festas com bebidas para os meninos, quando servia vinho e dizia que era "o suco de Jesus". Os pais de Jackson estavam presentes durante o depoimento do garoto, mas não esboçaram nenhuma reação ao que o menino dizia. Algumas vezes Jackson se inclinava, apoiava a mão no ombro de seu advogado e sussurrava em seu ouvido. Os jurados ouviram com atenção e alguns tomaram notas.A defesa deve rebater as acusações dizendo que as afirmações foram inventadas pela mãe do garoto em uma tentativa que conseguir dinheiro do astro pop. O garoto voltará a depor hoje, quando será interrogado pela defesa do astro.Jackson, de 46 anos, é acusado de abusar do menino em 2003, quando tinha 13 anos e se recuperava de um câncer, além de dar-lhe bebidas alcoólicas e conspirar para manter a família presa no rancho.

Agencia Estado,

08 de março de 2005 | 15h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.