Estrelas do country compartilham holofotes do Grammy

Artistas de música country vão compartilhar os holofotes com estrelas em ascensão e veteranos nos Grammy Awards neste domingo ao subirem ao palco na maior noite da indústria da música.

PIYA SINHA-ROY, Reuters

11 Fevereiro 2013 | 19h48

Organizadores do Grammy querem trazer a atenção de volta para a música neste ano, após a morte da cantora Whitney Houston na noite anterior à cerimônia de premiação do ano passado lançar uma mortalha sobre as apresentações.

As categorias mais importantes são dominadas por homens neste ano, com a banda britânica de folk Mumford & Sons, o trio de indie-pop fun. e o cantor de R&B Frank Ocean recebendo seis indicações cada, incluindo para o maior prêmio, de álbum do ano.

Eles estarão entre as dezenas de apresentações, incluindo os roqueiros norte-americanos The Black Keys, que têm cinco indicações, e o ex-cantor e guitarrista do White Stripes, Jack White, que tem três indicações.

Após homenagear a música eletrônica dançavel no ano passado, os Grammys estão destacando a música country. As indicações foram anunciadas em dezembro passado num show ao vivo em Nashville.

Neste domingo, o gênero será representado pelos indicados Dierks Bentley e Miranda Lambert, Carrie Underwood e pelo indicado a melhor artista novo Hunter Hayes. Os veteranos da música country Tim McGraw e Faith Hill vão entregar os prêmios.

A cerimônia de três horas de duração, transmitida ao vivo na televisão, tem fama de parear veteranos e novatos.

Mumford & Sons vai se apresentar ao lado de Zac Brown, Elton John, Mavis Staples e a cantora do Alabama Shakes, Britanny Howard, num tributo ao músico de blues-rock Levon Helm, da The Band, que morreu em abril devido a câncer na gargant.

O Mumford & Sons ganhou atenção nos Estados Unidos após se apresentar na cerimônia do Grammy de 2011 junto aos Avett Brothers e a Bob Dylan. Seu segundo álbum, "Babel", tornou-se um dos mais vendidos nos Estados Unidos em 2012.

Mais conteúdo sobre:
MUSICA GRAMMY SHOW*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.