Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Estátua que homenageia Tom Jobim é inaugurada no Rio

Cerimônia foi realizada 20 anos após a morte do músico

O Estado de S. Paulo

08 Dezembro 2014 | 17h10

RIO - A prefeitura do Rio inaugurou na manhã desta segunda-feira, 8, uma estátua de bronze em homenagem ao maestro e compositor Tom Jobim na orla de Ipanema, na zona sul da cidade. Criada pela artista plástica Christina Motta, a escultura foi encomendada pelo governo municipal para marcar os 20 anos da morte do músico.

Amigos e parentes de Tom Jobim acompanharam a cerimônia, entre eles a viúva Ana Jobim e os filhos do artista, Maria Luiza e Paulo Jobim. A banda Sexteto Terra Brasilis foi convidada pela família do compositor para fazer uma apresentação no local. Em tamanho real, a estátua foi instalada na entrada do Arpoador. A escultura é inspirada em uma fotografia clássica de Tom nos anos 1960. "Escolhi retratar um Tom bonito, quando estava no auge.

A foto que usei é muito significativa, porque ele e Vinicius (de Moraes) tinham acabado de fazer uma sinfônica em Brasília. Para mim, que sempre fui fã de Tom e acompanhei sua carreira, fazer esse trabalho foi motivo de orgulho e grande emoção", disse a autora da escultura, em nota divulgada pela prefeitura.

A obra tem uma placa que mostra um trecho da letra de Samba do Avião, uma das mais conhecidas do maestro e compositor. Para Ana Jobim, a estátua retrata um período de grande importância na vida de Tom. "Os anos 60 representaram o auge de sua vida artística. Gostei muito de vê-lo com o violão, que era uma marca dele, assim como o piano também foi", disse a viúva do compositor, um dos criadores da Bossa Nova. Tom Jobim morreu em 8 de dezembro de 1994, em Nova York, aos 67 anos, vítima de uma parada cardíaca, quando lutava contra um câncer. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.