Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Estátua que homenageia Tom Jobim é inaugurada no Rio

Cerimônia foi realizada 20 anos após a morte do músico

O Estado de S. Paulo

08 de dezembro de 2014 | 17h10

RIO - A prefeitura do Rio inaugurou na manhã desta segunda-feira, 8, uma estátua de bronze em homenagem ao maestro e compositor Tom Jobim na orla de Ipanema, na zona sul da cidade. Criada pela artista plástica Christina Motta, a escultura foi encomendada pelo governo municipal para marcar os 20 anos da morte do músico.

Amigos e parentes de Tom Jobim acompanharam a cerimônia, entre eles a viúva Ana Jobim e os filhos do artista, Maria Luiza e Paulo Jobim. A banda Sexteto Terra Brasilis foi convidada pela família do compositor para fazer uma apresentação no local. Em tamanho real, a estátua foi instalada na entrada do Arpoador. A escultura é inspirada em uma fotografia clássica de Tom nos anos 1960. "Escolhi retratar um Tom bonito, quando estava no auge.

A foto que usei é muito significativa, porque ele e Vinicius (de Moraes) tinham acabado de fazer uma sinfônica em Brasília. Para mim, que sempre fui fã de Tom e acompanhei sua carreira, fazer esse trabalho foi motivo de orgulho e grande emoção", disse a autora da escultura, em nota divulgada pela prefeitura.

A obra tem uma placa que mostra um trecho da letra de Samba do Avião, uma das mais conhecidas do maestro e compositor. Para Ana Jobim, a estátua retrata um período de grande importância na vida de Tom. "Os anos 60 representaram o auge de sua vida artística. Gostei muito de vê-lo com o violão, que era uma marca dele, assim como o piano também foi", disse a viúva do compositor, um dos criadores da Bossa Nova. Tom Jobim morreu em 8 de dezembro de 1994, em Nova York, aos 67 anos, vítima de uma parada cardíaca, quando lutava contra um câncer. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.