Esquema de segurança do show do U2 terá 1.500 Policiais

Escaldados pelas filas e pela confusão para aquisição dos ingressos para os shows do grupo irlandês U2 em São Paulo, o governo do Estado e a Prefeitura criaram uma operação especial nas imediações do estádio. Às 13 horas de cada dia de show serão levantados postos de bloqueios nas quatro rotas de acessos ao Morumbi. Policiais vão inspecionar os veículos e cuidar da segurança de quem chega ao espetáculo. Ambulantes só poderão ficar a um raio de 300 metros de distância do local do show, enquanto flanelinhas e cambistas serão coibidos.Para amenizar o problema do trânsito nas cercanias do estádio a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) prepara um esquema especial de monitoramento. Já a São Paulo Transporte (SPTrans) vai colocar duas novas linhas de ônibus para atender a população que retornará do evento. Elas serão operadas por 30 veículos com dois itinerários distintos, uma utilizará a Avenida 9 de Julho e a outra a Rebouças.Cerca de 1.500 homens das Polícias Militar e Civil e da Guarda Civil Metropolitana cuidarão da segurança do público. Segundo o secretário-adjunto de Segurança, Marcelo Martins de Oliveira, haverá um posto do Juizado Especial Criminal, como já ocorreu em jogos de futebol. Lá, um juiz vai analisar no ato delitos menores, entre eles furtos e posse de drogas. De acordo com Oliveira, o juizado vai diminuir a sensação de impunidade. A pessoa que se sentir lesada, não necessitará sair do show para resolver problemas menores.Os quatro integrantes do U2 e sua comitiva devem chegar amanhã para ocupar 100 apartamentos e suítes do Hotel Gran Meliá Mofarrej.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.