Vladimir Vyalkin/RIA Novosti
Vladimir Vyalkin/RIA Novosti

Especialista em Rossini, maestro Alberto Zedda morre aos 89 anos

Músico começou a carreira como diretor em Milão, em 1956

EFE, O Estado de S.Paulo

07 Março 2017 | 17h54

O maestro italiano Alberto Zedda, especialista no repertório da Itália do século XIX e profundo conhecedor da obra do compositor Gioachino Rossini, morreu na cidade italiana de Pesaro aos 89 anos.

Zedda morreu na segunda-feira,6,  mas a notícia foi confirmada apenas nesta terça-feira, 7, de acordo com a imprensa local.

"Acabo de saber que o mestre Alberto Zedda, músico, estudioso, grande 'rossiniano', morreu", afirmou na segunda-feira o assessor de imprensa da Ópera de Florença, Paolo Klun, em seu perfil oficial na rede social Twitter.

Nascido em Milão, no dia 2 de janeiro de 1928, Zedda se formou com os maestros Antonio Votto e Carlo Maria Giulini. Estreou em Milão como diretor em 1956, com "Il barbiere di Siviglia", e um ano depois ganhou o concurso da "Rai" para diretores de orquestra.

Grande musicólogo, especialista da música italiana e uma das referências da ópera em nível mundial, Zedda sempre teve o nome ligado aos teatros mais prestigiados do mundo.

O maestro foi diretor artístico do Teatro alla Scala de Milão, um dos templos da ópera em nível internacional, e também do Teatro Carlo Felice de Gênova e do Rossini Opera Festival de Pesaro.

Apesar do invejável currículo, o destaque a ser recordado de Zedda será o vasto conhecimento sobre o compositor italiano Rossini, autor de famosas óperas como Il barbiere di Siviglia, La Cenerentola e L'italiana in Algeri.

Zedda descobriu a obra de Rossini por acaso, como declarou em várias ocasiões, mas desde então ficou fascinado e dedicou grande parte da vida a estudar até se tornar o maior especialista do mundo em Rossini.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.