Otávio Magalhães/Estadão
Otávio Magalhães/Estadão

Especial ‘Madame X’: Madonna nos anos 90

Às vésperas do lançamento do novo disco, o ‘Estado’ revisita carreira da rainha do pop

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2019 | 07h02

O aguardado novo disco de MadonnaMadame X, será lançado na próxima sexta-feira, 14. Com 5 singles lançados até o momento – Medellín, I Rise, Crave, Future e Dark Ballet – o disco conta com participações especiais de artistas como Maluma e Anitta.

Como aquecimento, o Estado preparou uma série de conteúdos especiais que revisitam a carreira da rainha do pop. Nesta quarta-feira, relembre os momentos mais importantes de Madonna nos anos 90.

 

Madonna encerrou os anos 80 sendo considerada ‘Artista da década’ pela MTV e pela revista Billboard. Nos anos seguintes, estrelou diversos filmes, incluindo Dick Tracy e Evita, e lançou três discos de estúdio: Erotica (1992), Bedtime Stories (1994) e Ray of Light (1998).

Madonna entrou na década de 90 com o pé direito. Além de interpretar Breathless Mahoney em Dick Tracy, a cantora foi responsável também pela trilha sonora do filme, concentrada no disco I’m Breathless. De lá saiu Vogue, música que angariou imediatamente críticas positivas e estabeleceu tendências na dance music. O mundo da moda já havia se rendido a Madonna e um novo público aderiu formalmente ao seu séquito de fãs: a comunidade gay internacional. 

A carreira de Madonna continuava explosiva. Na turnê mundial Blond Ambition, a cantora apresentou Like a Virgin em uma performance que simulava masturbação. Grupos conservadores e religiosos intensificaram suas críticas à Madonna. 

Explícito demais até para a MTV, o vídeo de Justify My Love, com toques de sadomasoquismo e bondage, inaugurou uma nova época de Madonna. Em 1992, ela lançou Sex, livro de imagens explícitas e sexuais, e o disco Erotica, que, apesar de bem recebido pela crítica, não conseguiu alcançar os topos das paradas nos Estados Unidos.

O lado provocativo de Madonna começava a trazer problemas maiores do que grupos religiosos. Críticos e fãs reagiam negativamente à postura da cantora.

É nesse contexto que surge o sexto álbum de estúdio de Madonna, Bedtime Stories, em 1994. Com uma atmosfera mais suave, o disco introduziu dois grandes hits, Secret e Take a Bow

Em 1996, Madonna fez o grande papel de sua vida: interpretou Eva Perón no musical Evita. Ela conseguiu o papel após escrever diretamente para o diretor Alan Parker. Sua atuação lhe rendeu um Globo de Ouro. 

No mesmo ano, Madonna teve sua primeira filha, Lourdes. Após o nascimento da pequena, passou a se envolver com misticismo e cabala  – influências que seriam perceptíveis no álbum Ray of Light, de 1998. 

Mais conteúdo sobre:
Madonna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.