Especiais relembram trajetória de Marina Lima

Ela se define como a temporã da geração tropicalista e primogênita do rock brasileiro. A cantora e compositora Marina Lima fala sobre sua carreira e seus altos e baixos, incluindo a sua ausência nos palcos por sete anos. As entrevistas podem ser conferidas nos programas Por Trás da Fama, amanhã, às 21h30, e Ensaio Geral, quarta-feira, no mesmo horário, ambos no Multishow. As duas atrações fornecem um perfil detalhado da cantora, de 45 anos, resgatando imagens e fatos de sua vida.Em 1960, Marina mudou-se para os Estados Unidos e foi lá que teve o primeiro contato com a música. Após sete anos, retornou ao Brasil, durante o "boom" do tropicalismo, e foi influenciada por Gilberto Gil. Mais tarde, uniu-se a seu irmão, Antônio Cícero, para compor. A primeira canção recebeu o nome de Alma Caiada. Com o álbum Todas, tornou-se fenômeno e ganhou seu primeiro disco de ouro. Depois, mais sucesso com as músicas Essa Noite Quero Te Ter e À Francesa. Uma crise existencial e de indentidade, como ela define, tirou-a dos palcos. "Precisava ficar calada, pois comecei a achar que eu era uma coisa que não conseguiria dar conta", afirma. Seu retorno à música se deu no ano passado com o álbum Sissi na Sua.Os depoimentos de seu irmão, do crítico de música Tárik de Souza e dos cantores Lulu Santos e Ana Carolina estão no Por Trás da Fama. Já no Ensaio Geral, comandado por Lorena Calábria, Marina revela suas preferências e resgata Kiko Zambianchi em Primeiros Erros, além do dueto de Elizeth Cardoso e Baden Powell no extinto programa Chico e Caetano, da Rede Globo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.