Shannon Stapleto/ Reuters
Shannon Stapleto/ Reuters

Espanha cancela apresentações de Plácido Domingo após acusações de assédio sexual

De acordo com o Ministério da Cultura, cancelamento foi em solidariedade às mulheres que foram afetadas por sua suposta má conduta sexual

Jessica Jones e Jonathan Allen, Reuters

26 de fevereiro de 2020 | 15h50

O Ministério da Cultura da Espanha cancelou, nesta quarta-feira, 26, apresentações do tenor Plácido Domingo em Madri, em maio, após alegações de assédio sexual contra o cantor de ópera.

O ministério disse que cancelou as apresentações do cantor espanhol na opereta Luisa Fernanda, no Teatro Zarzuela, nos dias 14 e 15 de maio, em solidariedade às mulheres que foram afetadas por sua suposta má conduta sexual.

O teatro com financiamento público ainda vai encenar as apresentações, mas sem Domingo.

O Instituto Nacional de Artes Cênicas e Música do ministério expressou “forte apoio” às mulheres que acusaram Domingo de má conduta sexual, e rejeitou “todos os tipos de assédio, comportamento abusivo e dominante”.

Domingo pediu desculpas às mulheres que o acusaram de assédio sexual na terça-feira, depois que uma investigação do Sindicato dos Artistas Musicais dos EUA concluiu que ele se comportou de maneira inadequada com artistas do sexo feminino.

Mais de três dúzias de cantoras, dançarinas, músicas, professoras de voz e funcionárias dos bastidores disseram ter testemunhado ou experimentado tais atos pelo cantor, de 79 anos, em diferentes casas de ópera nas últimas três décadas.

A decisão espanhola contrasta com a diretoria do Festival de Salzburgo, que disse na terça-feira que iria adiante com uma apresentação de Domingo, aguardando por mais informações da investigação nos Estados Unidos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.