Erasmo e Roberto Carlos ganham ação contra gravadora EMI

A EMI alegava ter direitos sobre seis das 23 músicas contidas em DVD; compositores podem ganhar até R$ 1 mi

Roberta Pennafort, de O Estado de S. Paulo,

20 de fevereiro de 2009 | 18h13

Os compositores Roberto Carlos e Erasmo Carlos ganharam uma ação judicial que moviam contra a gravadora e editora EMI e garantiram a venda do DVD Pra Sempre Ao Vivo no Pacaembu, de Roberto, lançado em 2004 e que havia sido recolhido das lojas pela empresa. Isso porque a EMI alegava ter direitos sobre seis das 23 músicas contidas no DVD - que saiu pela Sony, a gravadora atual dos dois. As faixas haviam sido lançadas originalmente quando o Rei e Erasmo ainda tinham contrato com a EMI.   Os dois pediram a rescisão do contrato, a liberação das músicas e uma indenização por danos morais e materiais. O objetivo de Roberto e Erasmo é ter domínio sobre todas as suas composições. A decisão, em primeira instância, foi da juíza Lindalva Soares Silva. Os compositores poderão ganhar mais de R$ 1 milhão.

Tudo o que sabemos sobre:
Roberto CarlosErasmo Carlos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.