Erasmo Carlos lança CD depois de 10 anos

Meigo, como o Bart Simpson, e, também como ele, irreverente, o único Tremendão Erasmo Carlos retoma a produção discográfica, depois de quase dez anos sem gravar trabalho com músicas inéditas. O novo CD, que chega às lojas na próxima semana, chama-se Pra Falar de Amor, título de uma canção de Marcelo Camelo, vocalista do grupo Los Hermanos.Loucura, delírio, propor alguma relação entre os dois? Veja bem, Erasmo já andou dizendo por aí que se emociona até com os Simpsons (e quem não?). Mas não só por isso. A brincadeira acima, com todo respeito, tem um fundo de verdade. Erasmo, ao gravar uma música do rapaz dos Los Hermanos, de 23 anos, reforça o elo com a (nossa) geração, que acompanha os Simpsons, com Bart em episódios de fazer rir e chorar. Numa dose mais intensa , ele também fortifica essa relação ao chamar Marisa Monte para dividir parceria, a canção Mais um na Multidão, e cantar no novo disco.Já para Erasmo, a ligação, como avisa nos agradecimentos do CD quando se refere à cantora, é mais lírica: "Marisa, o elo perdido entre o rouxinol e a flor."Mais um na Multidão surgiu a partir de uma conversa de Marisa e Erasmo, no ano passado, durante a turnê de Memórias, Crônicas e Declarações de Amor, . "Erasmo foi ao meu camarim: ele, que com o Roberto, foram parte da trilha sonora da minha vida (e de milhares de pessoas). Conversamos bastante, principalmente sobre o processo de criação. Eu queria saber como ele compunha e houve uma superidentificação e prometi fazer alguma coisa", conta ela. "Quando menos espero, chega uma música dele, ainda durante a turnê pelo Nordeste. Eu disse que a letra não era o meu forte e chamei um dos meus parceiros, o Carlinhos Brown. Fiz no início do ano. Fiquei mais emocionada ainda quando ele me chamou para dividir os vocais e, de certa forma, participar do processo do seu disco. Além do que o Erasmo é um amor, uma pessoa de bom coração."Sem conhecer pessoalmente o Tremendão, Marcelo Camelo, dos Los Hermanos, enviou "a balada atemporal" Pra Falar de Amor ao roqueiro. "Eu ainda nem ouvi nem agradeci. É muito estranho ficar tão próximo de feras como ele, principalmente quando se imagina que esse mundo distante, para mim, é supersério. E não é", diz Camelo. "É um mundo muito próximo do meu, onde a música rola naturalmente, sem mistérios, ela se propaga de um jeito simples. A gente mandou uma gravação caseira de voz, violão e piano (Rodrigo Amarante, outro hermano), e ele gostou. E gravou."Autoria - Nem tudo é sanguinho novo. Muito pelo contrário, a maioria das composições do novo CD são de Erasmo. Além disso, a produção é de responsabilidade do músico Marcelo Sussekind, que trabalha com Erasmo desde os anos 70. Não há novidade da clássica parceria Roberto & Erasmo. Apenas uma, a sua leitura para a versão (feita por ambos) de It Should Have Been Easy, de Bob McDill. A música já tinha sido interpretada pela cantora brega Kátia.Feitas por Erasmo, há letras bem-intencionadas, meigas e algumas irreverentes. Entre elas, Quem Vai Ficar no Gol, Família e Desenho Animado ("E assim termina a história/ Com o final que eu sempre quis/ Do pato apaixonado/ Que fez você feliz").

Agencia Estado,

11 de maio de 2001 | 18h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.