Ints Kalnins/ Reuters
Ints Kalnins/ Reuters

Enrique Iglesias processa Universal por royalties de streaming

Cantor espanhol questiona a forma como o estúdio efetua sua remuneração

AFP

25 Janeiro 2018 | 12h21

O cantor espanhol Enrique Iglesias processou, nesta quarta-feira, 24, a Universal Music Group por descumprimento de contrato, argumentando que recebe apenas "uma pequena fração" dos royalties que lhe correspondem pelas reproduções digitais.

"Sistematicamente, a Universal vem sub-remunerando os royalties por 'streaming' de Iglesias, ao calcular esses royalties em uma pequena fração da taxa de royalties de 50% exigida por contrato", indica a ação enviada a um tribunal de Miami, onde vive o artista.

O texto assegura que Iglesias perdeu milhões de dólares por esta razão, "apesar de ter gerado vendas de uma magnitude raramente alcançada na indústria da música", e acrescenta que "os números da Universal estão tão distorcidos" que o cantor, de 42 anos, pediu para inspecionar as atas do estúdio, mas este não autorizou.

O texto do processo exige o pagamento de 50% dos lucros obtidos por streaming e o direito de examinar tais livros.

** 'Despacito', Jay-Z e Kendrick Lamar estão entre os indicados ao Grammy 2018

"A Universal insiste erroneamente em que artistas como Enrique sejam pagos pelo 'stream' da mesma forma em que são pagos pelas vendas de discos físicos, apesar do fato de que nenhum dos custos relacionados (produção, distribuição, inventário, perdas) existe no mundo digital", disse seu advogado, James Sammataro.

A Universal Music Group não respondeu as solicitações da AFP para comentar o assunto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.