Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Enquete: qual foi o melhor show do Rock in Rio 2019?

Foo Fighters foi eleito pelos leitores o melhor show do primeiro fim de semana do festival

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2019 | 09h00

O segundo final de semana do Rock in Rio 2019 foi marcado por shows bastante diversos. Na quinta-feira, 3, se apresentaram Panic! At the Disco, Nile Rodgers & Chic, Capital Inicial, Rael, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência, e Emicida, entre outros artistas. O headliner foi  Red Hot Chili Peppers

O quinto dia de festival, sexta-feira, 4, foi a noite do metal, com atrações nacionais, como Sepultura e Nervosa, e internacionais, como Slayer, Anthrax, Helloween, Iron Maiden e Scorpions.

O dia mais variado do segundo final de semana foi o sábado, 5, que mesclou vários ritmos com apresentações de Anitta, Funk Orquestra com Ludmilla, Fernanda Abreu e Buchecha, Projota, Anavitória e Saulo, além de H.E.R., Black Eyed Peas e Pink.

Já o domingo, 6, encerrou o festival com uma pegada roqueira nos shows de Muse, Imagine Dragons, Nickelback, Os Paralamas do Sucesso, King Crimson, Lulu Santos e O Terno, entre vários outros artistas. 

Depois do primeiro fim de semana de festival, o Estadão perguntou a seus leitores qual havia sido o melhor show até então, e quem venceu foi o Foo Fighters.

Agora, o Estadão quer saber: qual foi o melhor show do Rock in Rio 2019? Relembre as apresentações e vote na nossa enquete:

Foo Fighters

A banda liderada pelo ex-baterista do Nirvana Dave Grohl já é uma velha conhecida dos palcos brasileiros e havia participado da terceira edição do Rock in Rio, em 2001.

Iron Maiden

Grupo fundamental do movimento conhecido como Nova Onda do Heavy Metal Britânico nos anos 1980, o Iron Maiden já é familiar para o público brasileiro, mas sempre se esforça para oferecer um show repleto de pirotecnia, teatralidade e muitos solos de guitarra.

Anitta

Desprezada pelo Rock in Rio em 2017, Anitta trilhou uma trajetória ascendente nos últimos dois anos e se tornou uma das maiores estrelas da música brasileira apostando em parcerias internacionais e surfando na onda de sucesso da música latina.

Emicida e Ibeyi

Se o palco Sunset privilegia encontros improváveis a parceria temporária entre o peso do hip hop paulistano de Emicida com o world music contemporâneo do duo franco-cubano Ibeyi foi um dos pontos altos do festival.

Funk Orquestra

Com convidados como Ludmilla, Buchecha e Fernanda Abreu, a Funk Orquestra contou a história dos 30 anos do gênero, desde o pancadão no fim da década de 1980 até o 150 bpm, sua mais nova encarnação.

Scorpions

Encerrar o dia de rock mais pesado no festival não é tarefa para qualquer banda — mas o Scorpions não é qualquer banda. Desfilando os hits de mais de quatro décadas de carreira, a banda alemã entregou toda a vitalidade que o dia do metal pedia.

Pink 

Em seu primeiro show em solo brasileiro, a musa pop Pink esbanjou teatralidade e chegou até mesmo a celebrar um pedido de casamento no palco.

Muse 

Somando um quarto de século na estrada, a banda encerrou o festival com chave de ouro tocando seus principais sucessos, incluindo faixas do último álbum, Simulation Theory

Red Hot Chili Peppers

Figurinha carimbadíssima no Rock in Rio, o Red Hot Chili Peppers tocou pelo terceiro ano seguido no Brasil confiando em seus hits já conhecidos do público nacional.

Vote:

 

 
Tudo o que sabemos sobre:
Rock in Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.