Encontro musical do Rio com Pernambuco

O encontro inusitado do carioca Nó em Pingo D?Água com o pernambucano Mestre Ambrósio promete uma curiosa salada de ritmos, do choro ao xote, no Teatro do Sesc Pompéia, amanhã e domingo. Formado há mais de 20 anos, o quinteto carioca é conhecido pela pouca fidelidade às versões originais do choro. Surgido nos anos 90, o grupo pernambucano desvirtuou os caminhos do xote, forró, baião e coco.As novas fórmulas utilizadas pelos dois grupos seriam a principal característica que ambos têm em comum e é o que deve ser explorado no show, como conta Celso Silva, o pandeirista, percussionista e um dos fundadores do Nó em Pingo D?Água.?Não ensaiamos com os ?ambrósios? uma vez sequer. Mas acho que isso não será um problema para o espetáculo. Acredito até que isso possa contribuir para o clima do show?, promete Silva. O Nó ocupará o palco principal do teatro, enquanto os rapazes do Mestre Ambrósio ficarão do lado oposto, em outro palco. ?E assim dialogaremos, na medida do possível?, diz Silva. Seu grupo investirá nas canções do mais recente CD, o Nó na Garganta, e em músicas de autoria do quinteto como Chave de Cadeia, Oração, Deu um Nó e Travessuras de Maíra.?Também mostraremos, em primeira mão, nossas interpretações para canções de Cristovão Bastos. O material estará reunido no próximo CD, dedicado ao músico?, diz Silva.Mestre Ambrósio apresentará músicas de seus dois CDs. Além de Fuá na Casa do Cabral, Pé-de-Calçada e Se Zé Limeira Sambasse Maracatu ? seus maiores sucessos, os ?ambrósios? tocarão as inéditas em disco Vida (xote) e Caninana (coco). Nó em Pingo D?Água e Mestre Ambrósio - Teatro do Sesc Pompéia (R. Clélia, 93, tel: 3871-7700). Sábado às 21 h e domingo às 18 h. De R$ 8 a R$ 16

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.