Encontro entre música brasileira e blues no CCBB

A série Do Velho Chico ao Mississippi tem início amanhã com o objetivo de demonstrar em cima do palco as semelhanças entre a genuína música de raiz brasileira e o blues. No projeto, grandes bluesmen do Brasil e dos Estados Unidos e típicos violeiros brasileiros. De 7 a 28 de março (sempre às terças-feiras), os blueseiros e curiosos de plantão poderão apreciar uma "disputa" entre os dois rios, o São Francisco, representando a música brasileira, e o Mississippi, representante maior do blues americano. Com origens semelhantes, as duas vertentes saíram da expressão de povos interioranos ligados à terra. Além disso, compartilham temas, afinações e até mesmo lendas, como a do pacto entre o violeiro/guitarrista e o "coisa ruim". A série traz em sua programação encontros inéditos como o do cantador, compositor e violonista baiano Xangai e o norte-americano Woody Mann, autoridade do blues, professor de Paul Simon e músico de vários instrumentos, entre eles a viola caipira e a guitarra portuguesa. Também merece destaque a noite que reúne Steve James, um dos mais representativos nomes do blues de raiz norte-americano, com um dos mais talentosos violeiros do Brasil, Pereira da Viola, mineiro do Vale do Mucuri. O encontro de amanhã será entre Heraldo do Monte, o primeiro artista a levar a viola brasileira para o universo da MPB, com o guitarrista André Christovam, um dos pioneiros do blues nacional. Nos outros dias estarão reunidos Ricardo Vignini, violeiro do grupo Matuto Moderno, que já transitou pelos dois universos levando a viola de Tião Carreiro para um "passeio" com Jimi Hendrix; Christiaan Oyens, parceiro de Zélia Duncan, Sebastião Da Silva, repentista do Rio Grande do Norte, e o gaitista Flávio Guimarães, acompanhado pelo guitarrista slide Otávio Rocha, ambos membros do Blues Etílicos. Do Velho Chico ao CCBB. Teatro (130 lug.). Rua Álvares Penteado, 112, Centro, tel.: 3038-6698. Terça-feira (7), 13 horas e 19h30. R$6.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.