Eminem promete esculhambar Grammy 2001

O mais importante prêmio da indústria fonográfica mundial acontece quarta-feira no mesmo clima de mesmice de todos os anos. A não ser pelo fato de que Eminem, a grande esperança do pop, promete esculhambar a festa. Alguma tensão também poderá ser vista durante a categoria de melhor performance vocal pop, onde Madonna concorre contra as divas teen Britney Spears e Christina Aguillera. Na falta de boa música, a controvérsia dá o tom da 43ª edição do evento.A chegada de Eminem ao Grammy é um marco. O polêmico rapper teve oito milhões de unidades vendidas de seu segundo álbum, The Marshall Mathers LP, e virou um dos artistas que mais afirmam odiar o mainstream desde Kurt Cobain. Ele ganhou duas estatuetas no ano passado, por seu álbum de estréia, mas agora chega à categoria principal, de disco do ano. Um feito inédito para um rapper hardcore. Eminem é a ovelha negra do pop e do evento: ele desafia a fatia mais conservadora do mercado, representada na categoria de disco do ano por Paul Simon e Steely Dan, e também ameaça as chances de reconhecimento dos poucos nomes que mostraram alguma criatividade no pop dos últimos tempos, Beck e Radiohead. O rapper virou o único antídoto em um panorama musical dominado por Britney, ´N Sync e Backstreet Boys."As pessoas não querem me ver no prêmio e é por isso que eu vou estar lá, jogando coisas nos caras do ´N Sync", disse Eminem em uma entrevista recente. Para chocar seus fãs e seus opositores, o rapper - conhecido por fazer afirmações homofóbicas e misóginas - vai fazer um dueto com Elton John, o grande ponto alto da festa. Os dois vão cantar o hit Stan, unanimidade nos Estados Unidos. A cerimônia vai ser transmitida ao vivo pela rede norte-americana CBS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.