Eminem convence Hollywood e lidera bilheterias

Eminem ganha mais poder na indústria doentretenimento. O polêmico rapper entra para a história aoimpulsionar o filme 8 Mile - Rua das Ilusões para o topo doranking das bilheterias americanas em seu fim de semana deestréia. O filme, que tem lançamento previsto no Brasil parafevereiro, faturou US$ 54 milhões em apenas três dias - umnúmero que fica ainda mais impressionante para um trabalhoestrelado por um pop star. O principal atrativo da produção podeser Eminem, mas o sucesso de 8 Mile é mais complexo.Nunca um filme idealizado para ser um veículo de promoção paraum nome da música em Hollywood teve o orçamento ou oenvolvimento de nomes tão poderosos quanto 8 Mile. O rapperestava recebendo inúmeras propostas para aparecer em filmes - decomédias a produções de horror -, mas só aceitou o desafio com aentrada do mega-produtor Brian Grazer (que ganhou o Oscar porUma Mente Brilhante) e, em seguida, do diretor Curtis Hanson(de Los Angeles: Cidade Proibida e Garotos Incríveis).Ele, por sua vez, conseguiu atrair o interesse de Kim Basinger,outra grande diferença do projeto.Mas a produção - que conta a história semi-autobiográfica de umrapper branco de Detroit tentando ser aceito em uma cenadominada por negros - também tinha o desafio de conseguirconvencer a comunidade do hip hop e saber lidar com a questãoracial. Assim, para o elenco de apoio, foram convocados atorespouco conhecidos do grande público, mas que têm a desejada"credibilidade das ruas".O principal deles é Mekhi Phifer, descoberto por Spike Lee emIrmãos de Sangue, de 1995, que agora entrou para o elenco doseriado de TV Plantão Médico. "Quando ouvi falar desseprojeto, não fiquei nem um pouco animado", disse o ator àPlanet Pop. "Mas, depois de cinco minutos com Eminem, descobrique ele era um cara legal." Os outros integrantes do elenco sãoEugene Byrd (de Whiteboyz) e os iniciantes Omar Miller,Anthony Mackie e De´Angelo Wilson.Todos eles garantem que Eminem nunca se comportou como umaestrela e trabalhou duro para o filme. "Em quatro meses defilmagens, ele nunca chegou atrasado e sempre sabia suas falas", disse Phifer. "Ele chegou sem nenhum ego", afirmou Byrd. "E,logo de cara, admitiu para todo mundo que estava com medo,porque nunca havia trabalhado como ator. Resolvemos então formarum time para fazer o projeto funcionar."Camaradagem ou não, todos eles também garantem que o Eminem quecanta sobre espancar mulheres e homossexuais e que faz ameaças aMoby ao vivo na televisão é muito diferente do que estava no setde filmagem. "Ele é um cara família, muito dedicado à filha",diz Phifer. "A fúria está apenas nas músicas."Além de fortalecer o passe de Eminem no mundo pop, o sucesso de8 Mile (cuja trilha sonora está no topo da parada daBillboard) também deve elevar o nível dos filmes estreladospor nomes da música. Dificilmente a indústria vai investirnovamente em projetos tão obviamente duvidosos quantoGlitter (com Mariah Carey) e Amigas Para Sempre (comBritney Spears)."Depois deste filme, o público simplesmente não vai aceitarqualquer produção estrelada por um pop star", diz Phifer. Nãoque o público tenha aceitado - a grande maioria dos filmes depop star têm sido fracassos retumbantes -, mas pelo menos asestrelas devem ter mais cuidado na escolha de roteiros e equipesno futuro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.