Divulgação
Divulgação

Emílio Santiago é internado no Rio de Janeiro após sofrer um AVC

Cantor e compositor tem 66 anos; estado de saúde não foi divulgado pelo no Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul da capital fluminense

Agência Estado - Atualizado às 16h,

07 de março de 2013 | 10h56

RIO DE JANEIRO - O cantor e compositor Emílio Santiago, de 66 anos, foi internado na manhã desta quinta-feira, 7, após sofrer um AVC isquêmico (Acidente Vascular Cerebral), em que não há hemorragia. Santiago está lúcido, mas com alguma dificuldade para movimentar o lado direito do rosto. Ele está no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Samaritano, em Botafogo, uma das 115 instituições do País que são referência para o tratamento de AVC. Em nota, o hospital informou que o estado de saúde do cantor "inspira cuidados". Santiago chegou à instituição às 8 horas. Visitas estão proibidas e não há previsão de alta.

Emílio Santiago começou a cantar em festivais universitários na década de 1970, participou do programa de calouros de Flávio Cavalcanti, na extinta TV Tupi, e foi crooner da orquestra de Ed Lincoln, além de fazer muitas apresentações em boates e casas de espetáculos noturnas.

Em 1973, lançou o primeiro compacto, com as canções 'Transa de Amor' e 'Saravá Nega'. Seu primeiro LP foi lançado pela CID em 1975, trabalho que incluía canções de Ivan Lins, João Donato, Jorge Benjor, Nelson Cavaquinho, Guilherme de Brito, Marcos e Paulo Sérgio Valle.

No ano seguinte, assinou com a Philips/Polygram, onde permaneceu até 1984, lançando dez álbuns. Foi escolhido como melhor intérprete no Festival dos Festivais, da TV Globo, em 1985, com a canção 'Elis Elis'.

O sucesso veio em 1988, quando lançou 'Aquarela Brasileira' pela Som Livre, projeto especial de sete volumes, dedicado exclusivamente à música brasileira, que ultrapassou a marca de quatro milhões de cópias vendidas. Na mesma época, lançou um tributo ao cantor Dick Farney e clássicos do bolero hispânico.

Assinou com a Sony Music em 2000, quando lançou o disco 'Bossa Nova', que também rendeu um DVD. Lançou 'Um sorriso nos Lábios', em 2001, tributo a Gonzaguinha. E também homenageou o compositor João Donato em 2003.

Seu mais recente álbum é 'O Melhor das Aquarelas' ao vivo, com repertório da música brasileira que gravou a partir de 'Aquarela Brasileira', de 1988.

Tudo o que sabemos sobre:
Emílio SantiagointernaçãoAVC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.