Em show surpresa, Bono discursa contra a pobreza

O líder do U2, Bono, e o vocalista da banda de rock Pearl Jam, Eddie Vedder, fizeram um dueto de surpresa nesta sexta-feira em um show ao ar livre que coincidiu com a abertura reunião do G-20 em Melbourne. Eles discursaram contra a pobreza mundial, segundo a Agência Reuters dando início a três dias de protestos. Bono cantou Rockin? In The Free World, de Neil Young, e pediu para as 14 mil pessoas que foram ao show gratuito para exigirem que os políticos façam mais na luta contra a pobreza global. ?Os políticos têm que fazer o que vocês disserem que façam. Vamos fazer da pobreza história?, disse Bono. O show foi organizado pelo grupo Transforme a Pobreza em História e reuniu bandas locais. A polícia isolou partes da segunda maior cidade da Austrália para evitar que os manifestantes cheguem perto do local onde estão sendo realizadas as reuniões de ministros e presidentes de bancos centrais de 20 países. Grupos ligados a igrejas esperam milhares de pessoas para o fim de semana de protestos festivos. Os primeiros manifestantes que chegaram à área da cúpula ontem montaram uma ?embaixada? de orações na frente das barricadas. Eles pretendem ficar acampados no local até o fim das reuniões, amanhã. Alguns membros vão comer apenas arroz e água para demonstrar solidariedade com os pobres. Os grupos querem que o G-20 atue na luta contra a pobreza no mundo, principalmente, através do perdão de dívidas. As condições econômicas globais e a segurança de energia são os principais pontos da agenda do encontro de Melbourne. As negociações sobre o comércio mundial e o aquecimento global também devem ser temas debatidos. Grupos que se manifestam em Melbourne afirmam que a guerra liderada pelos EUA contra o terrorismo está atrapalhando a ajuda global. ?Não podemos ganhar a guerra contra o terror a não ser que ganhemos a guerra contra a pobreza?, disse o reverendo Tim Costello, irmão do secretário do Tesouro da Austrália e co-presidente do Transforme a Pobreza em História. ?Aquecimento global, pobreza e terrorismo estão relacionados e isso exige um esforço global?, disse Costello.

Agencia Estado,

18 Novembro 2006 | 09h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.