Em show e CD, o talento de três jovens instrumentistas

O CD, independente, não tem nome.Na capa interna, uma foto que pode ser vista de ângulosdiferentes, com sentidos diferentes. Em letras miúdas, na capa,além da paisagem vaga, os participantes: André Mehmari, CélioBarros, Sérgio Reze. Pianista, o primeiro, contrabaixista, osegundo, percussionista, o terceiro.Entraram em estúdio em junho de 2000. O disco foigravado numa única sessão. Não havia temas pré-definidos. Maseles são três músicos brilhantes, refinados, de repertório - nosentido mais amplo do termo - vasto e erudito.São três jovens - André, o mais novo, mal passou dos 20anos. Foi o vencedor, empatado com Célio, do primeiro PrêmioVisa de MPB, em 1998, edição dedicada aos instrumentistas.Sérgio foi destaque do 4.º Prêmio Visa, também contemplandoinstrumentistas, no ano passado.Pode-se dizer, sem susto, que são os melhores músicosjovens de seus instrumentos da cena brasileira. Vão mostrar asqualidades, mais uma vez, ao vivo, no Supremo Musical, amanhã, a partir das 21 horas. É show único de lançamento dodisco.Não vão repetir o disco, seria impossível, mas aperformance, a magia da criação coletiva, da conversa musicalintelectualmente consistente - e sempre surpreendente, emcriadores tão jovens. André, Célio e Sérgio representam passos àfrente na nossa criação instrumental. Profundamente brasileiros(com a imensa carga de influências a que isso obriga), trazemluzes para um novo momento musical, feito de maravilhas. André Mehmari, Célio Barros e Sérgio Reze. Amanhã, às 22 horas. R$ 10,00. Reserva de ingressos até as 21 horas. Supremo Musical. Rua Oscar Freire, 1.000, São Paulo, tel. 3062-0950.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.