Ahn Young-joon/Pool via REUTERS/Arquivo - 1/10/2018
Ahn Young-joon/Pool via REUTERS/Arquivo - 1/10/2018

Em novo disco, Psy dá adeus a 'Gangnam Style', hit que o tornou global

Artista coreano diz ter superado sucesso criado há dez anos

Juwon Park, Associated Press

06 de maio de 2022 | 20h00

A estrela sul-coreana Psy diz que seu novo álbum marca um “adeus ao Gangnam Style”, o hit que o impulsionou a exatamente uma década atrás. O videoclipe do single principal That That, com Suga do BTS, mostra Psy no famoso terno azul que ele usava na época de seu grande hit.

“Mas, então, esse cara de smoking azul leva um tapa de Suga e continua seu caminho, iludindo seu antigo eu se afastando do passado”, diz Psy.

Seu mais recente álbum PSY 9th, tem doze músicas, incluindo uma com o rapper coreano-canadense Tablo.

Psy, cujo nome verdadeiro é Park Jae-sang, conquistou o mundo com Gangnam Style em 2012. A música, com sua dança de cavalgada viciante e melodias cativantes, tem hoje mais de 4,4 bilhões de visualizações no YouTube.

Em uma entrevista, Psy discutiu a longa lacuna nas gravações, se ainda se sente pressionado pelo sucesso de Gangnam Style e falou sobre o que imagina para si mesmo para a indústria do pop coreano.

'PSY 9th' levou cinco anos para ficar pronto. Por que demorou tanto?

Não se pode satisfazer a todos. O gosto das pessoas é subjetivo. Mas se eu deixar alguém ouvir minha música e ela disser que não está boa, faço mudanças. Existem quarenta ou cinquenta pessoas para quem toco minha música quando a sinto pronta. E, até que eles digam coletivamente que está tudo bem, sigo trabalhando. Os artistas acham isso difícil quando trabalham comigo, mas é difícil corrigir esse hábito.

Quem são essas quarenta ou cinquenta pessoas?

Todos os artistas da minha empresa e alguns de nossos funcionários da gravadora. Existem jovens e velhos, incluindo meus pais... A pessoa mais aleatória é o meu melhor amigo, alguém da minha idade que vive sua vida e conhece meu trabalho desde o início. 

Já se passaram dez anos desde 'Gangnam Style'. Você ainda pensa nisso, se sente pressionado de alguma forma?

O tema oculto deste novo videoclipe é “Adeus ao Gangnam Style”. Esse cara de smoking azul leva um tapa de Suga e continua seu caminho, iludindo seu antigo eu se afastando do passado. Não é um vídeo sério, mas há um sentido. Pessoalmente, e em termos de trabalho, o sucesso de Gangnam Style foi um grande evento, então é impossível não pensar nele permanentemente. Mas já faz muito tempo, e agora me sinto muito livre e tranquilo. Então, penso nele como o maior troféu da minha prateleira, nada mais, nada menos. No momento, estou envolvido com fazer novas músicas.

Quanto tempo você levou para superar o 'Gangnam Style'?

Na época do sétimo álbum, não havia ainda superado. Cinco anos atrás, quando lancei o oitavo, já me sentia em grande parte mais tranquilo. Agora, já superei.

Qual é a sua música favorita em sua carreira musical?

Há uma música chamada It's Art no meu quinto álbum. Não importa o que eu crie, será difícil de superar essa música.

Por quê?

Apesar de eu estar na estrada há muito tempo, há algumas das minhas próprias músicas que ainda me deixam orgulhoso. Essa é a música. É emocional e tem batidas e mensagens agradáveis, e o público a adora. Mesmo antes de promover a faixa, ela se tornou viral e passei a usá-la como a música que canto depois de Champion e Gangnam Style durante os shows.

Se houvesse uma grande mudança na indústria pop coreana no futuro próximo, qual seria?

O k-pop vai crescer continuamente em termos de tamanho do orçamento, de esforços do padrão dos trainees... Acho que a próxima mudança será o metaverso. O metaverso trará mudanças para a indústria do k-pop ao possibilitar acabar com limites do palco e da plateia.

Você está preparando algum projeto relacionado a NFT ou metaverso?

É a primeira vez que revelo isso. Estou preparando um personagem meu que canta e dança. Felizmente, as pessoas estão acostumadas a uma ilustração minha porque eu a tenho usado como capa do meu álbum desde o meu debut... Mas Psy como um cantor deve permanecer ativo offline por muito tempo. Eu não sou conhecido por um corpo musculoso ou por movimentos de dança bem treinados. O público fica emocionado com a minha vibração, com a atmosfera no palco, então um show sem público não será uma opção para mim. Mas estou trabalhando de perto com artistas da minha gravadora para me preparar para o mundo metaverso. / TRADUÇÃO DE JOÃO LUIZ SAMPAIO

Tudo o que sabemos sobre:
k-popBTS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.