Em fase produtiva, Roberto Carlos canta em SP

Com um novo CD, Pra sempre, recém-saído do cofre (sim, de uma caixa-forte, ao estilo Tio Patinhas), o cantor Roberto Carlos reaparece hoje na cidade para sua ?saison? anual, um rito de rosas, medalhões e camisas azuis que precede as festas de final de ano há uns 40 anos. A maior parte dos ingressos para seus três shows estão esgotados, o que vai somar cerca de 11 mil pessoas. Só sobrou ingresso para a platéia superior do Credicard Hall, que é quase um exílio de distância do palco, e que nem por isso é barato: custa de R$ 30 a R$ 50. Segundo informa o site oficial de Roberto, o título do novo disco, Pra sempre, é também nome da sua ?música de trabalho? (aquela na qual as gravadoras geralmente investem um bocado, para garantir sua execução nas rádios), ?um ?fox? no estilo Emoções que se tornará, com certeza, mais um clássico RC?, diz o texto do site, tosco e errado. A canção inédita chega às rádios na terça-feira, dia 11. O disco, o primeiro em sete anos feito inteiro de canções inéditas (são 10), chega às lojas no dia 21. A gravadora Sony comemora a entrega antecipada do original do disco do ?Rei?, já que ele, preciosista, tem o hábito de atrasar o lançamento. Isso permitirá que Pra Sempre chegue um mês antes do Natal às lojas, sinal de boa vendagem. O álbum assinala a retomada produtiva do maior cantor popular do País. Ele tinha estagnado sua capacidade de composição desde que a mulher, Maria Rita, ficou doente (ela morreria de câncer em 1999). No ano de 1996, ele fez seu último disco de canções inéditas. Filho de pai relojoeiro e mãe costureira de Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo, Roberto Carlos Braga já vendeu cerca de 90 milhões de discos em sua trajetória, dos 46 títulos que gravou (quase todos com o mesmo nome: Roberto Carlos). Em 1994, tornou-se o primeiro artista latino-americano a vender mais discos que os Beatles. Suas canções, transformadas em standards, alimentam um show que muda muito pouco ao longo das décadas ? ele incorpora apenas uma ou outra música e mantém os clássicos e suas antenas religiosas. Nos shows dessa semana, em São Paulo, não é garantia que ele vá mostrar sua nova música de trabalho para a platéia. No Credicard Hall, o repertório do ?Rei? deve ser o mesmo de sempre. Começa com Emoções e segue assim: Como É Grande o Meu Amor por Você; Eu Te Amo, Te Amo, Te Amo; Amor Perfeito; Detalhes ; Parei na Contramão; Olha; Além do Horizonte ; Seres Humanos; É Preciso Saber Viver; Força Estranha; E Por Isso Estou aqui; Proposta ; Luz Divina; Eu Te Amo tanto; Amor sem Limite ; Jesus Cristo.Credicard Hall - Av. das Nações Unidas 17.995, tel.: 6846-6010. Hoje às 21h30, sábado às 22h e domingo às 20h. De R$ 30 a R$ 140.Olympia - Rua Clélia 1.517, tel.: 3866-3000. Dias 11 e 12 às 22h, dia 15 às 22h30 e dia 16 às 21h. De R$ 70 a R$ 150.

Agencia Estado,

05 de novembro de 2003 | 12h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.