Em artigo, Elton John pede luta contra homofobia

Elton John rendeu homenagem aos ativistas em defesa dos direitos dos homossexuais e pediu, em artigo publicado na revista The New Statesman, que as pessoas "ergam suas vozes" contra a homofobia.O cantor britânico, que formalizou sua união com seu parceiro de longa data David Furnish numa cerimônia civil, disse que todos precisam se manifestar em defesa dos direitos humanos dos homossexuais."Em dezembro de 2005, eu me uni legalmente ao homem que amo", escreveu ele na revista The New Statesman. "Esse é meu direito legal e meu direito humano. E eu quis que todo o mundo soubesse, eu quis gritar para o mundo o que fiz.""Em alguns países, minha voz teria sido abafada, talvez até mesmo calada para sempre", lamentou. "Homens e mulheres são perseguidos e atacados todos os dias, em todo o mundo, simplesmente em função de quem amam e com quem fazem amor."O cantor, que comemora seu 60.º aniversário no domingo, rendeu homenagem a William Hernandez, ativista dos direitos dos gays em El Salvador.A Anistia Internacional diz que Hernandez e outros de sua organização, a Entre Amigos, já foram ameaçados de morte por seu trabalho."Pessoas como William são bem mais corajosas do que eu. Quando os bitolados gritam xingamentos, eles gritam de volta", escreveu o cantor."Minha voz me tem servido muito bem ao longo dos anos. Espero que talvez possa fazer algum bem a ele (Hernandez). Mas precisamos de mais vozes", disse. "Quer o intolerante esteja em nosso pub local ou a mil milhas de distância, todos nós devemos erguer nossas vozes em favor desses direitos humanos fundamentais."O artigo foi para uma coluna na revista, na qual figuras públicas conhecidas destacam casos defendidos pela Anistia Internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.