Elvis ressurge no auge em faixa inédita

Quase 40 anos depois de gravada, chega às lojas na semana que vem uma "nova" música de Elvis Presley (1935-1977). Jamais lançada em disco, I?m a Roustabout é uma das duas faixas-bônus do disco Elvis 2nd to None (BMG), e foi gravada originalmente para o filme Carrossel de Emoções (Roustabout), dirigido por John Rich em 1964. O filme era estrelado por Elvis e por Barbara Stanwyck e tinha uma Raquel Welch, estreante no cinema, no elenco de apoio.A composição de I?m a Roustabout é de Winfield Scott e Otis Blackwell, mas a música nunca foi usada, tendo sido rejeitada pelo produtor do filme, Hal Wallis. Ela ficou esquecida no porão da casa do compositor Winfield Scott, que mencionou a existência de uma cópia de acetato no início deste ano, em entrevista a um jornalista de Nova Jersey. O repórter, que produzia material sobre Elvis, procurou o pesquisador Ernst Mikael Jorgensen, que o alertou sobre a importância daquela gravação. O pesquisador foi a Scott, que fuçou e encontrou o material original no seu porão. Quase tinha jogado fora a fita. Recuperada, ela vem à tona agora.Esse atrativo extra tende a tornar o disco Elvis 2nd to None um dos hits das árvores de Natal. No ano passado, o álbum Elvis 30 #1 Hits, também da BMG, levou o Rei do Rock a vender 9 milhões de discos pelo mundo (250 mil no Brasil). Outra das atrações da nova coletânea de Elvis é a faixa Rubberneckin?, remixada pelo DJ e produtor Paul Oakenfold, que já toca uma barbaridade nas rádios do País.No auge - I?m a Roustabout, além de tudo, é uma delícia de canção. Roustabout é "trabalhador braçal", ou peão, em nossa língua. Tem eletricidade, tem Elvis no auge, botando fogo no celeiro com um rock?n?-roll dos mais básicos. Winfield Scott conta que diversos compositores foram contatados para fazer uma música para o filme, mas o produtor Hal Wallis implicou com uma frase da letra, na qual Elvis diz que quer "enfiar aquilo" no ouvido do seu patrão. A letra de fato é incisiva, quase um hino dedicado à luta de classes (é inacreditável: o topete de Elvis já foi quase comunista): "Ordens o dia inteiro e metade da noite para o patrão/ O cara não quer ver um minuto perdido/ Coloque o fardo aqui, nessa pilha/ Melhor ainda: ali não, aqui/ Eu quero é arrancar isso e enfiar no seu ouvido/ Mas é ruim demais, eu não posso ficar doido/Porque eu sou um peão de obra."Mas I?m a Roustabout não é a única preciosidade do disco. As 30 faixas do álbum trazem o Elvis negro e o Elvis caipira branco, o hillbilly de Tupelo. Comparecem também o Elvis baladeiro e o Elvis infernal, de levantar até árvore petrificada. Elvis 2nd to None cobre o período elvisiano que vai de 1954 a 1976. Traz as ultraconhecidas Always on My Mind (1972) e Blue Suede Shoes (em versão de 1956). Traz tambémcuriosidades geniais, como Bossa Nova Baby, feita para o filmeO Seresteiro de Acapulco. E prova que os 42 anos que Elvis viveu deixaram um vasto legado que não pára de ressurgir. Na semana que vem, mais um capítulo da história desembarca nas prateleiras do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.