Elvis passa de 100 milhões de discos vendidos

Elvis Presley passou da marca de 100 milhões de discosvendidos nos Estados Unidos, de acordo com a Recording IndustryAssociation of America. Na última pesquisa da instituição daindústria fonográfica, os números de vendas do rei do rockestavam na casa dos 80 milhões de unidades. A nova marca colocao cantor apenas atrás dos Beatles, que tiveram 165 milhões dediscos vendidos nos Estados Unidos, do Led Zeppelin e do cantorde country music Garth Brooks, com 105 milhões cada.O rei dorock deve aumentar consideravelmente suas vendas este ano, porconta de uma série de compilações e caixas que foram lançadasrecentemente para celebrar os 25 anos de sua morte (nestasexta-feira). De acordo com a revista Billboard, Elvistambém tem os recordes de maior número de discos a chegar aotopo da parada, de singles top 10 e de semanas no topo da listade vendas.Ainda não é oficial, mas os Beatles podem revidar em breve na disputa pelo domínio das paradasmundiais no fim do ano. De acordo com o semanário inglês NewMusical Express, a gravadora Parlophone está planejando lançarem outubro uma nova compilação "definitiva" de sucesso dosBeatles, para marcar os 40 anos de Love Me Do. O disco duploteria 50 das mais conhecidas faixas da banda inglesa.Fortuna póstuma - Elvis é também a celebridade do além que fatura maisalto no mundo dos vivos. O cantor foi o artista morto cuja obra mais rendeu nos últimos 12 meses, de acordo com a revista deeconomia Forbes. De junho do ano passado a junho deste ano,o rei do rock arrecadou US$ 37 milhões com vendas de discos epagamento de direitos autorais. Este é o segundo ano consecutivoque o artista fatura alto.Todo o dinheiro faturado pelo cantor fica parasua única herdeira, Lisa Marie Presley, que se casou no fim desemana com o ator Nicolas Cage. O resto da lista dos mortosmilionários inclui o criador de Snoopy, Charles Schulz, com US$28 milhões faturados no período; e John Lennon, com US$ 20milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.