Elvis abre coleção sonora dos EUA

Os Estados Unidos resolveram tombar as músicas que consideram as mais importantes de sua história. As primeiras canções escolhidas para o Registro Nacional das Gravações dos Estados Unidos, criado pela Biblioteca do Congresso, são de Elvis Presley. Para entrar na coleção, uma gravação precisa ser "cultural", histórica ou esteticamente significativa e ter pelo menos dez anos. Além de Elvis, serão também tombadas outras 50 gravações que cobrem mais de um século e representam vários gêneros musicais, como também registros de literatura ou performances. Cronologicamente, vão das gravações em cilindros de Jesse Walter Fewkes dos índios Passamaquody em 1890 ao disco de rap The Message, de Grandmaster Flash & the Furious, de 1982. Entre os shows escolhidos para integrar a coleção estão a primeira versão para o rádio de O Gordo e o Magro, que depois se transformou em filme, e A Guerra dos Mundos, transmitida por Orson Welles, em 1938. "O registro não pretende ser um Grammy ou uma lista dos melhores", disse um bibliotecário do Congresso. "O Congresso criou o registro para celebrar a riqueza e a variedade de nosso legado áudio e para frisar nossa responsabilidade em garantir a preservação a longo prazo do legado, de forma que ele possa ser apreciado e estudado pelas futuras gerações." Outros nomes registrados e que serão "tombados" incluem Miles Davis, Frank Sinatra, Bob Dylan, Tito Puente, Aretha Franklin, Ray Charles, Les Ford and Mary Paul e Original Dixieland Jazz Band. Entre os títulos de jazz e blues, aparecem gravações de Bessie Smith, Louis Armstrong, Duke Ellington Orchestra, Billie Holiday e Charlie Parker, entre outros.

Agencia Estado,

30 de janeiro de 2003 | 11h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.