Elizabeth Taylor pode testemunhar a favor de Jackson

A lista de testemunhas para a defesa no julgamento de Michael Jackson inclui os próprios filhos do cantor, Paris e Prince Michael, e diversas celebridades, entre elas o jogador de basquete Kobe Bryant, a atriz Elizabeth Taylor e a cantora Diana Ross, informou hoje o advogado do cantor aos candidatos ao júri.A informação sobre os planos da defesa foi divulgada enquanto se iniciava o interrogatório dos potenciais membros do júri do julgamento de Jackson por abuso sexual de menor.Ao continuar o processo, tanto a promotoria como os advogados de defesa concordaram em eliminar da lista de potenciais jurados um homem de 81 anos que tem graves problemas de saúde.O advogado de Michael Jackson, Thomas J. Mesereau, disse aos candidatos que a lista de testemunhas da defesa inclui, ainda, o apresentador do Tonight Show, Jay Leno, o produtor Quincy Jones, o ator Chris Tucker e o cantor Stevie Wonder, além de Elizabeth, Diana e Bryant. Também estão na lista os irmãos Nick e Aaron Carter - o primeiro, integrante da banda Backstreet Boys -, o ator Corey Feldman, o jornalista Ed Bradley, Larry King, o guru da Nova Era Deepak Chopra, o médium Uri Geller e familiares do falecido ator Marlon Brando. O jornalista Martin Bashir, cujo documentário de 2003 Living With Michael Jackson, mostrou Jackson segurando as mãos de seu acusador e defendendo seu costume de dormir com crianças, também deve testemunhar.Duas potenciais juradas disseram ter tido problemas relacionados a abuso sexual. Uma disse que foi falsamente acusada de abusar de um garoto e também de agredir um aluno quando era professora. "Não sei a verdade sobre o sr. Jackson, mas gostaria que a verdade fosse revelada", ela disse. A outra mulher disse que teve de ir à polícia quando descobriu que seu cunhado havia molestado as sobrinhas. As duas mulheres disseram que as experiências dela não iria interferir em seu julgamento.Muitos candidatos disseram que acreditam que crianças mentem sob a pressão dos pais ou de outras pessoas. Perguntados sobre suas opiniões sobre a mídia, muitos disseram que a imprensa exagera na cobertura de alguns fatos mas que assistem aos noticiários da TV e lêem jornais.A lista de testemunhas da acusação inclui um grupo que a defesa não tem: toda a família do garoto que acusou Jackson de abuso sexual em 1993. O juiz ainda não decidiu se esse caso poderá ser mencionado no julgamento. O caso foi encerrado sem haver julgamento, supostamente após o cantor fazer um acordo de US$ 15 milhões com a família do garoto.Horas antes, o juiz Rodney S. Melville disse aos potenciais membros do júri, 242 pessoas, que ficassem tranqüilos e mantivessem a mente aberta. Ele ressaltou que o maior temor de um participante de um processo era que um juiz ou membro do júri "tenham sido comprados". "Não fui comprado. Não decidi minha opinião neste caso. E quero escolher membros do júri que sintam exatamente a mesma coisa", disse Melville.Jackson sorriu para os candidatos a jurados durante a audiência. Mantendo sua pose de astro, ele compareceu ao tribunal vestindo um terno preto com uma camisa de seda vermelha, com um colete com detalhes em vermelho e dourado. Jackson é acusado de abusar de um menor de 13 anos, um ex-paciente de câncer, depois de dar-lhe uma bebida alcoólica. O cantor também responde a acusações de ter conspirado para tentar manter o menino e a família dele presos.A seleção dos membros do júri foi adiada em uma semana devido ao falecimento da irmã de Mesereau. Dos 242 potenciais membros do júri, serão escolhidos 12 titulares e oito suplentes.

Agencia Estado,

14 de fevereiro de 2005 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.