Larry Morris/The New York Times
Larry Morris/The New York Times

Eles não foram a Woodstock: 6 nomes lendários dos anos 60 ausentes do festival

Nos 50 anos do festival realizado de 15 a 18 de agosto de 1969, é bom lembrar que músicos e bandas decidiram não ir ao evento que reuniu cerca de 400 mil pessoas; Bob Dylan, Beatles e Stones estão nesse grupo

Redação, AFP

14 de agosto de 2019 | 22h26

As apresentações em Woodstock de Janis Joplin, Jimi Hendrix, Joan Baez, entre outros grandes nomes do rock, permanecem gravadas na memória coletiva 50 anos depois do lendário festival de música.

Mas seis dos artistas mais importantes da década de 1960 não estiveram presentes, alguns por motivos que agora, em retrospectiva, parecem bem questionáveis.

Bob Dylan

O Nobel de Literatura Bob Dylan, um ícone da época, não se apresentou em Woodstock, apesar de então morar perto do Estado de Nova York. Conta a lenda que Dylan estava tão cansado da multidão de hippies que aparecia em sua casa que decidiu não tocar no festival e viajou para a casa que tinha na Inglaterra naquele fim de semana de agosto de 1969.

Outra versão, contada pelo jornalista especializado em música Julien Bitoun em seu livro Woodstock Live (Woodstock vivo) é que o compositor de Like a Rolling Stone não se apresentou porque um de seus filhos estava doente. Mesmo assim, duas semanas depois, tocou em um festival de música na ilha de Wight, na Inglaterra.

The Beatles

No final do verão de 1969, o Quarteto de Liverpool já tinha tirado a lendária foto em uma faixa de pedestres que ilustrou a capa do mítico álbum Abbey Road. Mas o grupo não pôde cruzar o Atlântico para tocar seu mais recente sucesso na época, Come Together, em Woodstock. 

Muitos culparam a namorada de John Lennon, Yoko Ono, por essa ausência, mas Bitoun garante que essa teoria não tem fundamento. De fato, os Beatles já tinham acabado sua carreira juntos e, embora naquela época não se soubesse, já tinham atuado como grupo pela última vez em janeiro de 1969 em um terraço de Londres. Lennon deixou a banda em setembro de 1969 e um ano depois, o grupo se dissolveu oficialmente.

The Rolling Stones

O verão de 1969 não foi auspicioso para o líder dos Rolling Stones, Mick Jagger: ele perdeu o festival de rock de que todo mundo fala hoje como um momento fundamental da época para ir à Austrália rodar um filme de que ninguém se lembra, no qual interpretou o criminoso Ned Kelly.

Meses depois, quando os organizadores tentaram replicar o festival em uma noite de shows gratuitos em Altamont, Califórnia, os Rolling Stones tinham que se apresentar no palco central. Mas infelizmente, este palco era patrulhado por membros do grupo de motoqueiros Hell's Angels, e um dos espectadores foi assassinado. Para muitos veteranos da época, esse momento foi um ponto de inflexão na década do "paz e amor".

Led Zeppelin

Naquele verão, o Led Zeppelin, a emblemática banda de rock britânica preferiu a praia à lama de Woodstock, e o fim de semana do festival estava enlouquecendo as multidões em Ashbury Park, na costa atlântica de New Jersey.

Peter Grant, o empresário, é citado no livro Led Zeppelin - The Concert File, revelando: "Disse não porque em Woodstock teríamos sido apenas mais uma banda no cartaz".

The Doors

E os Doors, por que não se apresentaram em Woodstock? "Porque fomos estúpidos e recusamos", admitiu o guitarrista do grupo, Robby Krieger. "Achávamos que seria uma cópia de segunda classe do Monterey Pop Festival", disse em alusão ao encontro de gigantes musicais na Califórnia em 1967.

Joni Mitchell

Joni Mitchell compôs a canção Woodstock, embora não tenha tocado lá. Ele criou a canção idealizando o festival em 1970, mas a canadense, que tinha que se apresentar no domingo, precisou cancelar porque seu empresário, David Geffen, programou sua participação no programa de uma emissora de TV, em Nova York, na segunda pela manhã e temeu que não chegasse a tempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.