Eldorado revira o baú e volta com novidades

Alcione já cantou Beatles e Jacques Brel; o romantismo de Wando já cruzou com Milton Nascimento; Jair Rodrigues já deu voz a Nino Rota. Isso tudo está registrado no acervo da Rádio Eldorado (do grupo Estado), que começa a vir à tona com a retomada da gravadora. Em sociedade com a Trama,que passou a distribuir os CDs do catálogo da Eldorado, a gravadora investe em novidades, mexe nos arquivos e recupera registros raros. "Não é uma volta, prefiro chamar de retomada", diz a diretora Isabel Borba. "A partir da reestruturação dogrupo, decidimos aproveitar o recall de credibilidade e respeito que a Eldorado tem e trabalhar em cima disso em sinergia com a rádio.O primeiro produto da parceria foi o CD LoungeEldorado. Lançada em dezembro, a compilação reúne canções tranqüilas que rolam nas madrugadas do programa homônimo. No repertório, Fernanda Porto, BiD, Domênico + 2, Llorca, Lenny Mac Dowell. Um medidor mais representativo da retomada, porém é osurpreendente Outros Nunos, do guitarrista e bluesman Nuno Mindelis, lançado no final do ano passado. Outra boa novidade, para março, é o álbum a que a cantora Izabel Padovani teve direito por ter vencido a 8ª edição do Prêmio Visa de Música Brasileira - Edição Vocal, em 2005Em parceria com a produtora Cavaleiros de Jorge, docompositor baiano Jota Velloso, foram relançados Aboio para Um Rinoceronte, do próprio Velloso, e a promissora estréia-solo de Mariene de Castro, Abre Caminho. O próximo é Rosário dos Pretos, que reúne cânticos religiosos entoados nos rituais da Igreja do Rosário dos Pretos, no Pelourinho, em Salvador. Entre os intérpretes estão Chico César, Margareth Menezes, Dona Ivone Lara e Mariene de Castro. Na semana que vem saem os DVDs de Dona Edith do Prato e do grupo Quaternaglia, com shows gravados noItaú Cultural e mais adiante, o novo CD do bloco afro Ilê Ayiê, que terão seus álbuns antigos relançados, a exemplo dos conterrâneos Riachão e BatatinhaPara este ano há projetos de outros CDs relacionados àprogramação da rádio, entre eles uma compilação do melhor que já passou pelo programa Vozes do Brasil, de Patrícia Palumbo, e trilhas de filmes brasileiros e do Mercosul na esteira do Sala 1, de Daniel Almeida. Em abril sai uma compilação inspirada no premiado JazzMasters. "Não remete exatamente ao conteúdo do programa, mas apresenta o jazz da nova geração", diz Isabel Voltam ao mercado também os discos da antigasérie Um Piano ao Cair da Tarde, idealizada por Carlos Vergueiro, em que excelentes músicos como Benjamin Taubkin, Eliane Elias, Dick Farney, Tânia Maria e Amilton Godoy interpretavam temas populares de autores como Dorival Caymmi, Tom Jobim, Gershwin, Rodgers & HartA idéia de transformar os programas em discos foi dopublicitário e compositor Aluízio Falcão em parceria com João Lara Mesquita, então diretor da rádio. "Na época a rádio não tinha perfil jornalístico tão acentuado como hoje, dividia o jornalismo com a linha de documentação cultural", lembra Falcão, que vinha de outra experiência bem-sucedida: a dos discos MarcusPereira. "João tinha inaugurado o selo com um disco de choro e me pediu que apresentasse alguma coisa da programação", lembra Falcão. "Sugeri o FM Inéditos, que tinha coisas curiosas como a Alcione cantando Ne me Quitte Pas, e o Cinco Minutos comPaulo Autran, em que ele dizia textos de grandes autores.No período em que permaneceu na direção da gravadora (da virada de 1977 para 1978 até 1987), Falcão fez história. Lançando álbuns que combinavam ineditismo com qualidade e perfil documental, como os de Geraldo Filme e do grupo Coisas Nossas interpretando raridades de Noel Rosa. "É difícil escolher filho" diz Falcão, mas ele aponta entre seus grandes feitos Caipira - Raízes e Frutos, A Música do Cangaço e O Canto dos Escravos que reuniu Clementina de Jesus e Geraldo Filme, entre outros. Éde sua gestão também Paulo Vanzolini por Ele Mesmo (o único em que o cientista e compositor de sambas se arrisca a cantar), que permanecia inédito em CD e deve ser reeditado este anoVale lembrar que, na fase pós-Falcão, no início dos anos 90, a Eldorado também apostou no potencial das hoje consagradas Zélia Duncan (então Zélia Cristina) e Daniela Mercury e endossou a guinada qualitativa de Zizi Possi com Sobre Todas as Coisase Valsa Brasileira.Nesta retomada, que também remete à iniciativa de Falcão Alcione é a primeira de uma série a ter em CD gravações inéditas feitas em programas da rádio no lendário Estúdio Eldorado. Estão também em estudo na gravadora projetos de CDs de MP3, como um do grupo Raíces de América, reunindo cerca de cem músicas de seu acervo que estão fora de catálogo.

Agencia Estado,

01 de fevereiro de 2006 | 20h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.