Leandro Godoi/Divulgação
Leandro Godoi/Divulgação

Dua Lipa empolga público e canta com Chris Martin em show solo em São Paulo

O vocalista do Coldplay subiu ao palco para cantar com Dua a música 'Homesick', escrita em parceria pelos dois para o álbum de estreia dela

Pedro Rocha, ESPECIAL PARA O ESTADO

10 de novembro de 2017 | 11h06

A cantora britânica Dua Lipa, nova aposta do pop mundial, fez na noite de quinta-feira, 9, na Audio, na zona oeste de São Paulo, o seu primeiro show solo no País, com ingressos esgotados. Na noite anterior, ela já havia feito a apresentação de abertura da nova passagem da turnê A Head Full of Dreams, do Coldplay, na cidade.

O vocalista da banda, Chris Martin, aliás, foi a maior surpresa do show de Dua Lipa. Já no bis, a cantora introduziu o amigo, com quem compôs a canção Homesick, presente no seu álbum de estreia, auto-intitulado. Com Chris no piano, os dois cantaram a faixa, com algumas dificuldades. "Desculpa, eu estraguei tudo, vamos começar de novo", admitiu Martin para o público, que amou o erro. Já mais ao final da segunda tentativa, o músico errou novamente as notas no piano, recomeçou mais uma vez e foi até o fim. 

Mas, apesar da boa surpresa com a presença de Chris, o público estava esperando o ápice, o grande hit de Dua Lipa até o momento, New Rules, cujo clipe já soma mais de 500 milhões de visualizações no YouTube, que ela certamente deixou para o final. Não havia uma pessoa que não cantasse as três regras inventadas por ela, na letra, para não dar bola para o ex-namorado. 

Choro, gritos, coro e muitos pulos acompanharam todo o show de Dua, cantora de apenas 22 anos, que apresentou apenas suas próprias músicas, apesar da carreira ainda no início. Não precisou de cover. Hotter Than HellThinking 'Bout YouBegging Be the One também empolgaram bastante o público. 

No palco, Dua, além da sua potência vocal, mostrou uma simpatia que faltou em sua chegada ao País, quando foi surpreendida por uma multidão de fãs no aeroporto, que a perseguiram até no banheiro. Saiu de cabeça abaixada e chorando. A simpatia também faltou em seu contato com a imprensa. Proibiu fotos e vídeos precisariam ser aprovados por sua equipe. As perguntas dos jornalistas precisavam ser analisadas antes. Nada de falar sobre aeroporto, namorados ou qualquer questão da vida pessoal. A entrevista, em breve, poderá ser conferida no Caderno 2.

No show, a cantora brincou, interagiu, levantou as bandeiras do Brasil e do movimento LGBT e mostrou muito rebolado e presença de palco. O público foi ao delírio em todas as vezes que ela dançou até o chão - o que fez mesmo nas músicas mais lentas. 

Tudo o que sabemos sobre:
Dua LipaChris Martin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.